Uma Visão Geral do Histórico de Preços do Bitcoin
Table of Contents
Introdução
Como analisar o histórico de preços do Bitcoin
Quais fatores influenciaram o período inicial de trading de Bitcoin?
Quais fatores influenciam o trading de Bitcoin agora?
Histórico de preços do Bitcoin
Relação do preço com eventos de curto prazo
Como explicamos o histórico de preços a longo prazo do Bitcoin?
Considerações finais 
Uma Visão Geral do Histórico de Preços do Bitcoin
HomeArticles
Uma Visão Geral do Histórico de Preços do Bitcoin

Uma Visão Geral do Histórico de Preços do Bitcoin

Iniciante
Published Aug 5, 2021Updated Sep 23, 2021
12m

TL;DR

Desde sua criação em 2009, o Bitcoin apresentou cinco picos significativos de preço. Até o momento, a criptomoeda teve um recorde histórico de cerca de 64.000 dólares americanos e teve um grande aumento em termos de adoção. A jornada tem sido volátil, com grande influência de eventos políticos, econômicos e regulatórios.

O Bitcoin apresentou, em média, um crescimento de 200% ao ano. Em agosto de 2021, a capitalização de mercado do Bitcoin era de cerca de US$ 710 milhões e seu domínio no setor de criptomoedas era de pouco menos de 50%.

Eventos como o ataque hacker à exchange Mt. Gox em 2014 e a quebra do mercado de ações em 2020 podem explicar parte do comportamento dos preços, a curto e médio prazo. A longo prazo, podemos obter uma visão mais ampla observando os modelos que usam análise técnica, fundamentalista e de sentimento do mercado.

Para a análise técnica, a Curva de Crescimento Logarítmica do Bitcoin e a Teoria Hyperwave são dois modelos interessantes. A Teoria Hyperwave faz uma associação do preço ao sentimento do investidor em fases cíclicas. Quando se trata de análise fundamental, os modelos Stock to Flow e Metcalfe rastreiam o preço do Bitcoin razoavelmente bem. Por fim, você pode usar uma combinação de todos esses métodos para obter uma visão bem equilibrada do mercado.


Introdução

O Bitcoin (BTC) atraiu a atenção do mundo todo com sua enorme valorização desde 2009. No entanto, o Bitcoin nem sempre apresentou tendências de alta (bull market). A criptomoeda também experimentou grandes quedas e períodos de baixa (bear market). Apesar da volatilidade, até o momento, a criptomoeda foi capaz de superar todos os ativos tradicionais. Uma combinação de vários fatores compõe o histórico de preços do Bitcoin. Podemos analisá-los com diferentes técnicas e pontos de vista.


Como analisar o histórico de preços do Bitcoin

Antes de falarmos sobre os dados, vamos ver como podemos analisar o histórico de preços do Bitcoin. Existem três métodos diferentes: análise técnica, análise fundamentalista e análise de sentimento. Cada tipo de análise tem seus pontos fortes e fracos, que podem ser combinados para fornecer uma imagem mais clara.

1. Análise Técnica (Technical Analysis - TA): Usa dados do histórico de preço e volume na tentativa de prever o comportamento futuro do mercado. Por exemplo, você pode criar uma Média Móvel Simples (Simple Moving Average, SMA) de 50 dias, calculando a média dos preços dos últimos 50 dias. Podemos obter informações plotando o SMA no gráfico de preços do ativo. Imagine, por exemplo, que durante algumas semanas, o Bitcoin tenha sido negociado abaixo da linha SMA de 50 dias, mas depois a ultrapassou. Esse movimento pode ser visto como um possível sinal de uma recuperação.
2. Análise Fundamentalista (Fundamental Analysis - FA): Analisa dados que representam o valor intrínseco fundamental de um projeto ou criptomoeda. Este tipo de pesquisa se concentra em fatores externos e internos para tentar estabelecer o valor real de um ativo. Por exemplo, podemos analisar as transações diárias do Bitcoin para mensurar a popularidade da rede. Se esse número aumentar com o tempo, pode ser um indício de que o projeto tem valor e que o preço da moeda pode subir.
3. Análise de Sentimento (Sentiment Analysis - SA): Usa dados referentes ao sentimento do mercado para prever os movimentos dos preços. A análise do sentimento do mercado considera os sentimentos e o humor dos investidores em relação a um ativo. Normalmente, podemos categorizá-los em sentimentos de alta (bullish) ou de baixa (bearish). Por exemplo, um aumento nas tendências de pesquisas do Google sobre a compra de Bitcoin pode sugerir um sentimento positivo do mercado.


Quais fatores influenciaram o período inicial de trading de Bitcoin?

O próximo passo é explorar os fatores que influenciam o trading e afetam os preços. Isso é algo que mudou ao longo do tempo, desde a criação do Bitcoin. Em 2009, o Bitcoin era um ativo de nicho com liquidez muito baixa. Eram realizadas negociações Over-the-Counter (OTC) (também conhecido como mercado de balcão) entre os usuários do BitcoinTalk e outros fóruns que acreditavam no valor do Bitcoin como uma moeda descentralizada. A especulação que vemos hoje desempenhou um papel muito menor.
Satoshi Nakamoto minerou o primeiro bloco em 03 de janeiro de 2009, com uma recompensa de 50 bitcoins. Nove dias depois, ele enviou 10 BTC para Hal Finney, na primeira transação de Bitcoin da história. Em 22 de maio de 2010, o Bitcoin ainda tinha um preço inferior a US$ 0,01. Naquele dia também ocorreu a primeira transação comercial de Bitcoin, quando Laszlo Hanyecz comprou duas pizzas por 10.000 BTC. Na época, usuários dos fóruns do Bitcointalk viram a compra como uma inovação. Esse tipo de trade contrasta com o uso atual. Você pode comprar facilmente produtos cotidianos usando um cartão Binance Visa Card.
À medida que o preço e a popularidade do Bitcoin cresceram, uma pequena indústria não regulamentada tornou-se cada vez mais envolvida na facilitação de transações e operações de trading. Isso incluía exchanges e mercados da deep web. O preço do Bitcoin era muito afetado, pois esses mercados e exchanges sofriam ataques hackers e, por vezes, fechavam ou enfrentavam problemas regulatórios. Algumas exchanges hackeadas mantinham fornecimentos substanciais de Bitcoin, o que provocava grandes alterações nos preços e a consequente falta de confiança no mercado. Exploraremos este assunto mais adiante.


Quais fatores influenciam o trading de Bitcoin agora?

Atualmente, o Bitcoin apresenta mais características similares aos ativos tradicionais, em comparação com seus primeiros dias de existência. O aumento da adoção nos setores de varejo, financeiro e política significa que existem ainda mais fatores que afetam o preço e as operações de trading do Bitcoin. O investimento de instituições em moedas virtuais também está crescendo, impulsionando ainda mais o fator especulação. Ou seja, os fatores que afetam as negociações de Bitcoin hoje, costumam ser bem diferentes dos primeiros anos. Vamos discutir alguns dos fatores mais importantes.

1. Processos de regulação estão agora muito mais presentes do que nos primeiros dias do Bitcoin. À medida que os governos começam a entender mais sobre as criptomoedas e a tecnologia blockchain, os esforços para controle e regulação aumentam. Tanto o "endurecimento" quanto o "afrouxamento" dos processos de regulação têm seus impactos. Mudanças no preço do Bitcoin podem estar diretamente relacionadas ao banimento do BTC em um determinado país ou ao seu nível de popularidade em outro.

2. O estado da economia global agora é um fator direto no preço e nas negociações de Bitcoin. Por exemplo, usuários vivendo em países com hiperinflação recorreram às criptomoedas como forma de proteção (hedging) contra a inflação. Como resultado da crise econômica da Venezuela que começou em 2016, vimos um volume recorde de trading na LocalBitcoins para o bolívar venezuelano. O crash do mercado de ações em 2020 viu o início da tendência de alta (bull run) do Bitcoin, que durou mais de um ano. Atualmente, o Bitcoin é visto como uma reserva de valor, como o ouro. Quando a confiança está baixa em outros setores da economia, as pessoas compram esses ativos.


3. O aumento da adoção de grandes empresas pode provocar altas no preço do Bitcoin. Empresas como Paypal, Square, Visa e Mastercard demonstraram suporte para as criptomoedas, dando confiança aos investidores. Até mesmo varejistas começaram a aceitar pagamentos em Bitcoin. O contrário também pode desencadear vendas em massa, como o anúncio de Elon Musk em 17 de maio de 2021, afirmando que a Tesla suspenderia os pagamentos em Bitcoin. Nesse caso, o preço do BTC foi de aproximadamente US$ 55.000 para US$ 48.500 naquele dia.


4. O aumento geral da especulação e os derivativos, como os contratos futuros de Bitcoin, provocaram um aumento na demanda do mercado. Em vez de investir e armazenar (holding) BTC por seu valor fundamental, os traders e especuladores do mercado de futuros abrem posições short para obter lucros, causando uma pressão de queda sobre o preço. Isso significa que o preço do Bitcoin não é mais exclusivamente baseado em sua utilidade.


Histórico de preços do Bitcoin

Desde 2009, o preço do Bitcoin está sujeito a grande volatilidade. Os fatores mencionados acima contribuíram para sua jornada até aqui. Embora o preço tenha apresentado altos e baixos, ele ainda está muito acima do valor inicial. 
Quando comparamos o Bitcoin com o índice NASDAQ 100 e com o ouro, podemos ver que ele ultrapassou amplamente esses dois ativos que, tradicionalmente, apresentam bons desempenhos. Além disso, podemos avaliar sua volatilidade, já que as perdas anuais do Bitcoin também são maiores, em termos percentuais, do que quaisquer perdas experimentadas pelo ouro ou pelo índice NASDAQ 100 (dados de @CharlieBilello).

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

2020

Bitcoin

1473%

186%

5507%

-58%

35%

125%

1331%

-73%

95%

301%

Ouro

9,6%

6,6%

-28,3%

-2,2%

-10,7%

8,0%

12,8%

-1,9%

17,9%

24,8%

NASDAQ 100

3,4%

18,1%

36,6%

19,2%

9,5%

7,1%

32,7%

-0,1%

39,0%

48,6%


De acordo com o site CaseBitcoin, o BTC mostrou um CAGR de 196,7% (taxa composta de crescimento anual) no período de 10 anos. O CAGR mede a taxa de crescimento anual de um ativo levando em consideração o fator de composição. Houve cinco picos significativos no preço do Bitcoin, partindo de apenas US$ 1 em 2011 para seu valor recorde de US$ 65.000, em maio de 2021. Vamos dividir todo o histórico em cinco picos distintos.



1. Junho de 2011: De um preço medido em centavos no ano anterior, o Bitcoin teve um aumento meteórico para US$ 32. O Bitcoin apresentou sua primeira alta, seguida por uma queda para US$ 2,10.
2. Abril de 2013: Depois de começar o ano a cerca de US$ 13, o Bitcoin experimentou sua primeira grande alta do ano, subindo para US$ 260, em 10 de abril de 2013. Nos dois dias seguintes, o preço caiu para US$ 45.
3. Dezembro de 2013: No final do ano, o Bitcoin experimentou um aumento de preço de quase 10 vezes, entre outubro e dezembro. No início de outubro, o BTC era negociado a US$ 125. Posteriormente, atingiu o pico de US$ 1.160. Em 18 de dezembro, o preço caiu novamente para US$ 380.
4. Dezembro de 2017: Em janeiro de 2017, o valor do Bitcoin era de US$ 1.000. Ao final do ano, ele apresentou uma valorização meteórica, atingindo quase US$ 20.000, em 17 de dezembro de 2017. Esta enorme tendência de alta (chamada de bull run) afirmou a posição do Bitcoin no mercado global, atraindo a atenção de investidores institucionais e governos.
5. Abril de 2021: As quedas nos mercados de ações e de criptomoedas, em março de 2020, provocaram um aumento sustentado de preços que chegou aos US$ 63.000, em 13 de abril de 2021. Com a instabilidade econômica durante a pandemia do Coronavirus, o Bitcoin foi visto por alguns como uma excelente opção para reserva de valor. O BTC e o mercado de criptomoedas viram então uma liquidação significativa em maio de 2021, antes da estagnação do preço.


Relação do preço com eventos de curto prazo

Os modelos fundamentais e técnicos que usaremos mais adiante nem sempre são capazes de descrever o comportamento do preço que vemos. Fatores externos, incluindo eventos políticos e econômicos, também desempenham papéis importantes que podem ser analisados individualmente. Um exemplo interessante é o famoso ataque hacker ocorrido nos primeiros dias do Bitcoin.

Ataque hacker à exchange Mt. Gox

O ataque hacker à exchange de Bitcoin, Mt. Gox, foi um evento significativo em 2014, que causou uma queda temporária no preço do Bitcoin. Na época, a corretora de criptomoedas sediada em Tóquio era a maior do mercado, com um volume de trading de cerca de 70% do fornecimento total de Bitcoin. Desde a sua criação, em 2010, a Mt. Gox foi vítima de vários ataques de hackers, mas foi capaz de sobreviver.

No entanto, o ataque hacker de 2014 roubou a maior parte dos ativos digitais da exchange. Foram cerca de 850.000 BTC roubados. A Mt. Gox suspendeu as operações de saque em 14 de fevereiro de 2014, o que levou a uma queda de aproximadamente 20% no preço do Bitcoin. Após se manter próximo aos US$ 850 durante a maior parte da semana, o preço caiu para US$ 680.

No final das contas, os hackers pegaram $450.000.000 (USD) dos fundos dos usuários e a Mt. Gox declarou falência. Alguns ex-usuários afirmam que havia problemas com os códigos do site que não foram corrigidos a tempo. Até hoje, as razões por trás do ataque ainda não estão claras. Existem vários processos em andamento e ações contra o antigo CEO da corretora, Mark Karpelès.


Como explicamos o histórico de preços a longo prazo do Bitcoin?

A longo prazo, eventos menores e menos importantes têm um impacto menor sobre o preço. Por esse motivo, é interessante analisar outras maneiras de explicar a trajetória positiva do Bitcoin. Uma opção é estudar modelos analíticos que utilizam as técnicas já mencionadas acima.

Análise fundamentalista: Modelo Stock-to-Flow

O modelo Stock-to-Flow usa o fornecimento limitado de Bitcoin como um possível indicador de preço. Essencialmente, o Bitcoin apresenta semelhanças ao ouro e ao diamante. Com o tempo, os preços dessas duas commodities aumentaram devido à sua escassez. Esse fator permite que os investidores os usem como reservas de valor.
Se pegarmos o fornecimento global total em circulação (estoque) e dividi-lo pela quantidade total produzida por ano (fluxo), podemos usar essa proporção para modelar o preço do Bitcoin ao longo do tempo. Já sabemos a quantidade exata de novos bitcoins que os mineradores irão gerar e é possível estimar a data aproximada para recebimento dessas novas criptomoedas. Simplificando, as recompensas por mineração estão diminuindo, e isso cria uma relação estoque-fluxo (stock-to-flow) crescente.

O modelo Stock-to-Flow se tornou mais popular devido à sua precisão na modelagem do histórico de preços do Bitcoin. Abaixo, podemos ver a linha SMA de 365 dias, os dados históricos de preços do Bitcoin e a previsão para os próximos anos.


No entanto, esse modelo tem algumas desvantagens. Com o tempo, quando o fluxo do Bitcoin chegar a zero, o modelo deve colapsar, pois não é possível dividir por zero. Este cálculo fornece previsões de preços que não são plausíveis, pois os valores tendem ao infinito. Leia mais sobre as vantagens e desvantagens do Stock-to-Flow em nosso artigo sobre Bitcoin e o Modelo Stock-to-Flow.


Análise fundamentalista: Lei de Metcalfe

A lei de Metcalfe é um princípio geral de computação que também pode ser aplicado à rede do Bitcoin. Ele afirma que o valor de uma rede é proporcional ao quadrado do número de usuários conectados. O que isso significa, exatamente? Um exemplo fácil de entender é o da rede telefônica. Conforme mais pessoas adquirem telefones, o valor da rede telefônica será exponencialmente maior. 

No caso do Bitcoin, é possível calcular o valor Metcalfe usando o número de endereços de carteira Bitcoin ativos e outras informações públicas disponíveis na blockchain. Ao plotar o valor Metcalfe em relação ao preço, você poderá ver um ajuste razoavelmente bom. Você também pode extrapolar a tendência para prever possíveis preços futuros, como fez Timothy Peterson em seu gráfico a seguir.


O índice que mede o valor da rede em relação ao Metcalfe (NVM, Network Value to Metcalfe) oferece outra opção de uso da lei de Metcalfe. Podemos calcular esse índice pegando a capitalização de mercado do Bitcoin e dividindo-a por uma fórmula parecida com a lei de Metcalfe. A fórmula usa o número de endereços exclusivos ativos em um dia como um fator substituto para o número de usuários da rede. São considerados endereços exclusivos ativos os endereços que possuem um saldo diferente de zero e que realizaram uma transação naquele dia específico.

Um valor acima de 1 indica que o mercado está supervalorizado e abaixo de 1 indica uma subvalorização. Você pode conferir isso visualmente no gráfico abaixo, extraído do Cryptoquant. O eixo esquerdo representa o índice NVM e o valor da rede está à direita.


Análise técnica: Curva de Crescimento Logarítmico do Bitcoin

A curva de crescimento logarítmico do Bitcoin é um modelo de análise técnica criado por Cole Garner, em 2019. Os gráficos padrão de preços do Bitcoin exibem o preço logarítmico (log) em relação ao tempo linear no eixo x. No entanto, usando também a escala logarítmica para o tempo, é possível desenhar linhas de tendência simples que correspondam aos topos das últimas três grandes altas (bull runs) e aos níveis de suporte do mercado de Bitcoin.


Essas linhas podem ser convertidas de volta para o formato do nosso gráfico original (com escala logarítmica para os preços), fornecendo uma curva de crescimento que corresponde, com precisão, ao histórico de preços do Bitcoin até o momento, conforme o gráfico a seguir, do site LookIntoBitcoin.com.


Análise Técnica: Teoria de Hyperwave

A Teoria de Hyperwave (ou teoria de hiperonda) foi desenvolvida por Tyler Jenks e tenta explicar os preços através das emoções dos investidores. A teoria sugere que o sentimento do mercado oscila repetidamente entre o pessimismo e o otimismo. Esses sentimentos geralmente levam a um efeito de "hiperonda", em que o preço sobe ao longo do tempo, antes de sofrer uma reversão para uma tendência de baixa (bearish trend). Embora a teoria de Jenks afirme que o padrão surge do sentimento do mercado, o gráfico usa apenas a análise técnica e dados de preços para traçar suas linhas de tendência. De acordo com a Teoria de Hyperwave, existem sete fases em cada ciclo de mercado.


Nas fases 1, 5 e 7, o preço do ativo deve ficar abaixo da linha de resistência. Nas fases 2, 3, 4 e 6, o preço deve permanecer acima das linhas de suporte. Nem todo ativo seguirá as regras de forma precisa, mas há evidências da existência desse padrão em alguns mercados. Podemos ver abaixo um exemplo aproximado do NASDAQ Composite 2000, demonstrado graficamente por Leah Wald (CEO da Valkyrie Investments Inc.).


Vamos dar uma olhada no período de alta do Bitcoin em 2017. Se aplicarmos as tendências da teoria de Hyperwave, veremos que ela apresenta uma padrão relativamente bom, exceto na fase 1. Também é possível ver o preço subindo em velocidade crescente, seguido por uma grande queda, o que está de acordo com as fases descritas acima.


Considerações finais 

Obviamente, existem muitas teorias que tentam explicar o histórico de preços do Bitcoin. De qualquer forma, o CAGR de quase 200% para um período de 10 anos do Bitcoin, comprova a incrível ascensão das moedas digitais. Mesmo no setor das criptomoedas, o Bitcoin mostra um domínio de mercado de pouco menos de 50% em agosto de 2021, com uma capitalização de mercado de aproximadamente US$ 710 bilhões.

As razões por trás desse crescimento monumental incluem os fundamentos das criptomoedas, o sentimento do mercado e os eventos econômicos. No entanto, o desempenho de anos anteriores não é garantia de bons resultados futuros. É importante entender por que o Bitcoin teve uma trajetória de preços tão altos, mas isso não nos diz o que acontecerá no futuro. Considerando a evolução do setor de modo geral, podemos afirmar que o Bitcoin amadureceu incrivelmente bem para uma nova classe de ativos que tem apenas 12 anos.