O que é Bear Market?
Tabela de Conteúdos
Introdução
O que é bear market?
Exemplos de bear market
Bear market vs. bull market – qual é a diferença?
Como fazer trades em um bear market (mercado em baixa)
Considerações finais
O que é Bear Market?
Página InicialArtigos
O que é Bear Market?

O que é Bear Market?

Iniciante
Publicado em Aug 5, 2020Atualizado em Apr 28, 2022
6m

Introdução

Os mercados financeiros seguem tendências. É importante entender as diferenças entre essas tendências para tomar decisões de investimento melhores. Por quê? Diferentes tendências podem gerar condições de mercado totalmente diferentes. Se você não sabe qual é a tendência do mercado, como vai se adaptar às condições, que mudam constantemente?

A tendência do mercado é a direção geral que o mercado está tomando em determinado momento. Em um bear market (mercado em baixa), os preços estão em queda. Bear markets podem ser desafiadores para fazer trades ou investir, especialmente para iniciantes. 

A maioria dos traders de criptomoedas e analistas técnicos concorda que o Bitcoin apresentou uma tendência geral de alta (bull trend) ao longo de sua existência. Ainda assim, o mercado de criptomoedas passou por diversos momentos de baixas significativas. Alguns desses momentos provocaram quedas de mais de 80% no preço do Bitcoin, enquanto as altcoins chegaram a cair 90%. O que pode ser feito durante períodos de baixa?

Neste artigo, discutiremos o que é um bear market (mercado em baixa), como você deve se preparar e como você pode lucrar com ele.

Se quiser ler sobre os bull markets (mercados em alta) primeiro, confira o artigo O que é Bull Market?.


O que é bear market?

Um bear market pode ser descrito como um período de queda de preços em um mercado financeiro. Operar em bear markets pode ser extremamente arriscado e difícil para traders inexperientes. Eles podem gerar grandes perdas e fazer com que alguns investidores jamais voltem aos mercados financeiros. Por quê? 
Existe um ditado entre os traders: “Stairs up, elevators down.” Em português, “escadas para subir, elevadores para descer”. Isso quer dizer que movimentos de alta podem ser lentos e constantes, enquanto movimentos de queda tendem a ser mais nítidos e bruscos. Por quê? Quando o preço começa a cair, muitos traders saem às pressas de suas posições nos mercados. Eles fazem isso para manter uma posição em dinheiro ou para obter lucros em suas posições long (posições compradas). Isso pode, rapidamente, resultar em um efeito dominó, em que os vendedores saem das posições às pressas e fazem com que mais vendedores façam o mesmo, e assim por diante. A queda pode ser ampliada ainda mais se o mercado estiver altamente alavancado. Liquidações em massa terão um efeito em cascata ainda mais acentuado, resultando em uma enorme onda de venda (sell-off).
Com isso dito, bull markets também podem ter fases de euforia. Durante esses períodos, os preços estão aumentando a uma taxa extrema, as correlações estão mais altas do que o normal e a maioria dos ativos valoriza em conjunto.
Normalmente, em um bear market, o sentimento dos investidores em relação ao mercado é negativo (“bearish”). Ou seja, eles esperam que os preços caiam. Isso também significa que, nesse período, o sentimento do mercado é geralmente de baixa. No entanto, isso não significa, necessariamente, que todos os participantes do mercado estejam em posições short (posições vendidas). Significa que existe uma expectativa geral de que os preços caiam e os traders podem se posicionar de acordo, caso a oportunidade apareça.


Exemplos de bear market

Como já discutimos, muitos investidores pensam que o Bitcoin tem apresentado uma tendência geral de alta desde que começou a ser negociado. Isso quer dizer que não há mercados de baixa em meio a essa corrida de alta? Não. Após o movimento do Bitcoin para cerca de US$ 20.000 em dezembro de 2017, seu mercado entrou em um período brutal de baixa.

Queda do preço do Bitcoin após o bull market de 2017.


E antes do bear market de 2018, o Bitcoin teve uma queda de 86% em 2014.

O preço do Bitcoin caiu 86% em relação ao topo de 2013. 


Em julho de 2020, o intervalo da baixa anterior do mercado, em torno de US$ 3.000, foi testado novamente, mas nunca ultrapassado. Se essa mínima tivesse sido ultrapassada, poderia existir o argumento de que um bear market de vários anos, do Bitcoin, ainda estava em andamento.

Bitcoin testando novamente a faixa de preços do período de bear market anterior.


Como esse nível não foi ultrapassado, pode-se argumentar que a queda após os temores relacionados ao COVID-19 foi meramente um novo teste do intervalo. Ainda assim, não há certezas quando se trata de análise técnica, apenas probabilidades.
Outros exemplos notáveis de bear market vêm do mercado de ações. A Grande Depressão de 1929, a Crise Financeira de 2008 ou o crash do mercado de ações de 2020 decorrente da pandemia de coronavírus, são exemplos notáveis. Todos esses eventos causaram grandes danos em Wall Street e impactaram os preços de ações de modo geral. Índices de mercado como o Nasdaq 100, o Dow Jones Industrial Average (DJIA) ou o índice S&P 500, podem apresentar quedas de preços significativas em períodos como este.


Bear market vs. bull market – qual é a diferença?

A diferença é bem clara. Em um bull market, os preços sobem, enquanto em um bear market, os preços caem.
Uma diferença pode ser que os mercados em baixa podem ter longos períodos de consolidação, ou seja, com movimentações laterais ou variações na ação do preço. São momentos em que a volatilidade do mercado é mais baixa e há pouca atividade de trading acontecendo. Embora o mesmo possa acontecer em bull markets, esse tipo de comportamento tende a ser mais comum em bear markets. Afinal, longos períodos de queda de preços não são muito atraentes para a maioria dos investidores.
Outro fator a se considerar é a possibilidade de entrar em uma posição short para um ativo. Se não for possível vender um ativo (short) com margem ou usando derivativos, os traders terão uma visão de baixa em relação ao mercado e trocarão seus ativos por dinheiro ou stablecoins. Isso pode gerar uma tendência de baixa mais prolongada com pouco interesse de compra, resultando em uma ação lateral de preços e um mercado mais lento.



Como fazer trades em um bear market (mercado em baixa)

Uma das estratégias mais simples que traders podem usar em um bear market é manter seus ativos em dinheiro (ou stablecoins). Se você não se sente confortável com a queda dos preços, talvez seja melhor simplesmente esperar até que o mercado supere a tendência de baixa do bear market. Se houver a expectativa de um novo período de alta (bull market) em um futuro próximo, você pode tirar vantagem disso quando acontecer. No entanto, se você faz HODLing e tem uma estratégia de investimento de longo prazo, um bear market não é necessariamente um sinal para venda.
Quando se trata de trading e investimentos, geralmente é melhor negociar conforme a direção da tendência do mercado. É por isso que outra estratégia lucrativa nos mercados em baixa pode ser a abertura de posições short. Dessa forma, quando os preços dos ativos estão caindo, os traders podem lucrar com a queda. Podem ser day trades, swing trades, position trades – a intenção é simplesmente operar na direção da tendência. Também existem muitos traders que procuram por oportunidades de trade “contra-tendência”. Ou seja, trades que vão contra a direção da tendência geral do mercado. Vamos ver como isso funciona.
No caso de um bear market, seria a entrada em uma posição long durante um "bounce" (salto). Esse movimento é conhecido como “bear market rally” ou “dead cat bounce”. Esses movimentos de preço contra a tendência podem ser notoriamente voláteis, pois muitos traders tentam aproveitar a oportunidade de entrar em uma posição long, durante um salto de curto prazo. No entanto, se o bear market geral ainda não foi confirmado como encerrado, presume-se que a tendência de baixa será retomada logo após o salto (bounce). 
É por isso que traders bem-sucedidos obtêm lucros (em altas recentes) e saem de suas posições antes da retomada da tendência de baixa. Caso contrário, eles podem ficar presos em suas posições long enquanto o período de bear market continua. Sendo assim, é importante lembrar que esta é uma estratégia altamente arriscada. Mesmo traders mais experientes podem ter perdas significativas ao tentar essa estratégia, conhecida como catch a falling knife (compra de um ativo em um momento de queda de preços). 


Considerações finais

Discutimos o que é um bear market (mercado em baixa) e como os traders podem se proteger e lucrar com eles. Resumidamente, a estratégia mais simples durante um bear market, é manter seus ativos em dinheiro – e esperar por uma oportunidade melhor para fazer trades. Como alternativa, muitos traders buscam por oportunidades de entrar em posições short. Conforme mencionamos, é aconselhável seguir a direção da tendência do mercado.