O que são as Pools de Liquidez do setor DeFi e como elas funcionam?
O que são as Pools de Liquidez do setor DeFi e como elas funcionam?
InícioArtigos

O que são as Pools de Liquidez do setor DeFi e como elas funcionam?

Intermediário
Published Dec 14, 2020Updated Jun 25, 2021
7m

TL;DR

As pools de liquidez são uma das tecnologias fundamentais por trás do atual ecossistema DeFi. Elas são parte essencial em automated market makers (AMM), protocolos de empréstimos, yield farming, ativos sintéticos, seguros on-chain (na cadeia), jogos em blockchains – a lista é longa.

A ideia é bem simples. Uma pool de liquidez é basicamente uma reserva de fundos armazenados em um grande 'pacote' digital. E para que serve esse pacote em um ambiente permissionless (sem necessidade de permissão), onde qualquer pessoa pode adicionar liquidez a ele? Vamos explorar como o DeFi iterou a ideia de pools de liquidez.


Introdução

O setor das Finanças Descentralizadas (DeFi) criou uma explosão de atividades on-chain. Os volumes de DEX são capazes de competir com o volume de exchanges centralizadas. Em dezembro de 2020, havia quase 15 bilhões de dólares de valor bloqueado em protocolos DeFi. O ecossistema está se expandindo rapidamente com muitos novos tipos de produtos.

Mas o que torna essa expansão possível? Uma das principais tecnologias por trás dos novos produtos é a pool de liquidez.


O que é uma pool de liquidez?

Uma pool de liquidez é um conjunto de fundos bloqueados em um contrato inteligente. As pools de liquidez são usadas para facilitar a negociação descentralizada, empréstimos e muitas outras funções que veremos posteriormente.

A pool de liquidez é o principal componente de muitas exchanges descentralizadas (DEX), como o Uniswap. Os usuários chamados de provedores de liquidez (LP) adicionam um valor igual de dois tokens em uma pool para criar um mercado. Em troca do fornecimento de seus fundos, eles recebem valores de taxas de trading sobre as negociações que acontecem na pool. O valor é proporcional à sua participação na liquidez total.

Como qualquer pessoa pode ser um provedor de liquidez, os AMMs tornaram o market making (criação de mercado) mais acessível.

Um dos primeiros protocolos a usar pools de liquidez foi o Bancor, mas o conceito ganhou mais atenção com a popularização do Uniswap. Algumas outras corretoras populares que usam pools de liquidez na Ethereum são: SushiSwap, Curve e Balancer. As pools de liquidez nessas plataformas contêm tokens ERC-20. Projetos equivalentes na Binance Smart Chain (BSC) são: PancakeSwap, BakerySwap e BurgerSwap, onde as pools contêm tokens BEP-20.


Pools de liquidez vs. livro de ordens

Para entender como as pools de liquidez são diferentes, vamos examinar o principal componente de construção de trades/negociações eletrônicas – o livro de ordens. Basicamente, o livro de ordens é um conjunto de ordens em aberto, disponíveis em um determinado mercado.

O sistema que combina as ordens entre si é chamado de mecanismo de correspondência. Junto com o mecanismo de correspondência, a carteira de ordens é o núcleo de qualquer exchange centralizada (CEX). Este é um ótimo modelo usado para facilitar o câmbio e negociações eficientes e permitiu a criação de mercados financeiros mais complexos.
O trading DeFi, no entanto, envolve a execução de trades on-chain, sem uma parte centralizada que mantém os fundos. Isso representa um problema quando se trata de livros de ordens. Cada interação com o livro de ordens exige taxas de Gas, o que torna o processo muito mais caro para execução de trades.
Isso também faz com que o trabalho dos market makers, traders que fornecem liquidez para pares de trading, seja extremamente caro. Acima de tudo, porém, a maioria das blockchains não é capaz de lidar com a taxa de transferência necessária para negociar bilhões de dólares todos os dias.
Isso significa que em uma blockchain como a Ethereum, uma exchange de livro de ordens on-chain é praticamente impossível. Poderiamos usar soluções de sidechains (cadeias laterais) ou layer-two, que já estão em desenvolvimento. No entanto, a rede não é capaz de lidar com a taxa de transferência em sua versão atual.
Antes de prosseguirmos, é importante notar que existem DEXs que funcionam bem com livros de ordens on-chain. A Binance DEX é construída na Binance Chain e é projetada especificamente para trades rápidos e baratos. Outro exemplo é o Projeto Serum, que está sendo construído na blockchain Solana.
Ainda assim, como muitos dos ativos do setor cripto estão localizados na Ethereum, não será possível negociá-los em outras redes, a menos que você use algum tipo de cross-chain bridge (um tipo de conexão entre diferentes cadeias).


Como funcionam as pools de liquidez?

Os Automated Market Makers (AMM) mudaram completamente o panorama do 'jogo'. Eles são uma inovação importante que permite o trading on-chain sem a necessidade de um livro de ordens. Como não é necessária nenhuma contraparte direta para executar as negociações, os traders podem entrar e sair de posições em pares de tokens que provavelmente teriam baixíssima liquidez em exchanges de livros de ordens.

Podemos imaginar uma exchange de livro de ordens como uma plataforma peer-to-peer (ponto a ponto), em que compradores e vendedores se conectam através do livro de ordens. Por exemplo, o trading na Binance DEX é peer-to-peer, uma vez que as negociações acontecem diretamente entre as carteiras dos usuários.
Fazer trading através de um AMM é diferente. Podemos imaginar o trading em um AMM como uma operação peer-to-contract (par-contrato).

Como mencionamos, uma pool de liquidez é um conjunto de fundos depositados em um contrato inteligente por provedores de liquidez. Quando você está efetuando um trade em um AMM, não há uma contraparte, como em trades tradicionais. Em vez disso, você executa a operação contra a liquidez da pool de liquidez. Para comprar, não é necessário que haja um vendedor naquele momento, apenas liquidez suficiente na pool.

Quando você compra a última 'food coin' no Uniswap, não há um vendedor do outro lado, no sentido tradicional. Na realidade, a operação é gerenciada pelo algoritmo que comanda o que acontece na pool. Além disso, o preço também é determinado por este algoritmo com base nas negociações que acontecem na pool. Se quiser saber mais, leia nosso artigo sobre AMM.

É claro que a liquidez deve ter uma origem. Qualquer um pode ser um provedor de liquidez, de forma que possa ser visto como contraparte. Mas não é o mesmo caso do modelo de livro de ordens, pois você está interagindo com o contrato que gerencia a pool.


Para que são utilizadas as pools de liquidez?

Até agora, falamos principalmente sobre AMMs, que têm sido o uso mais popular de pools de liquidez. No entanto, como dissemos, o conceito de pool de liquidez é muito simples, portanto, pode ser usado de várias maneiras diferentes.

Uma delas é o yield farming ou mineração de liquidez. Pools de liquidez são a base de plataformas geradoras de rendimento automatizadas como a yearn, onde os usuários adicionam seus fundos à pools que são usadas para gerar rendimento.

A distribuição de novos tokens para as pessoas certas é um problema muito complexo em projetos cripto. A mineração de liquidez tem sido uma das abordagens de mais sucesso. Basicamente, os tokens são distribuídos algoritmicamente para usuários que colocam seus tokens em uma pool de liquidez. Em seguida, os tokens recém-criados são distribuídos a cada usuário da pool, em quantidade proporcional às participações de cada um.

Lembre-se; estes podem ser até mesmo tokens de outras pools de liquidez, chamados de tokens de pool. Por exemplo, se você estiver fornecendo liquidez para o Uniswap ou emprestando fundos para o protocolo Compound, você receberá tokens que representam suas participações na pool. Você pode depositar esses tokens em outra pool e obter rendimentos. Essas cadeias podem ser bem complicadas, pois os protocolos integram tokens de pool de outros protocolos em seus produtos, e assim por diante.

Também podemos imaginar a governança como um caso de uso. Em alguns casos, há um limite muito alto de votos de tokens necessários para apresentar uma proposta formal de governança. Se os fundos forem agrupados, os participantes podem se unir em torno de uma causa comum que considerem importante para o protocolo.

Outro setor emergente de DeFi é o seguro contra riscos de contratos inteligentes. Muitas de suas implementações também são feitas com o uso de pools de liquidez.

Outro uso ainda mais avançado das pools de liquidez é para tranching. Tranching é um conceito originário das finanças tradicionais que envolve a divisão de produtos financeiros com base em seus riscos e retornos. Como seria de se esperar, esses produtos permitem que os LPs selecionem perfis de retorno e de risco personalizados.
A criação de ativos sintéticos na blockchain também depende de pools de liquidez. Adicione algumas garantias a uma pool de liquidez, conecte-a a um oráculo confiável e você terá um token sintético vinculado a qualquer ativo que desejar. Na realidade, é um pouco mais complicado do que isso, mas essa é a ideia básica.

O que mais podemos citar? Provavelmente, há muitos outros usos para pools de liquidez que ainda não foram descobertos e tudo depende da engenhosidade e criatividade dos desenvolvedores do setor DeFi.



Os riscos das pools de liquidez

Caso você forneça liquidez a um AMM, deve estar ciente de um conceito chamado de perda impermanente. Resumidamente, é uma perda no valor do dólar em relação ao HODLing quando você está fornecendo liquidez para um AMM.
Ao fornecer liquidez a um AMM, você provavelmente está exposto a perdas impermanentes. Ás vezes, ela pode ser insignificante. Porém, ela também pode ser enorme em alguns casos. Se estiver pensando em colocar fundos em uma pool de liquidez bilateral, vale a pena fazer a leitura do nosso artigo sobre isso.
Outra coisa a ter em mente são os riscos de contratos inteligentes. Quando você deposita fundos em uma pool de liquidez, os fundos permanecem na pool. Portanto, embora tecnicamente não haja intermediários mantendo seus fundos, o próprio contrato pode ser considerado um custodiante dos fundos. Se houver um bug ou algum tipo de exploração através de um flash loan, por exemplo, seus fundos podem ser perdidos para sempre.
Além disso, tenha cuidado com projetos em que os desenvolvedores têm permissão para alterar as regras que regem a pool. Em alguns casos, os desenvolvedores podem ter uma chave de administrador ou algum outro acesso privilegiado dentro do código de contrato inteligente. Com isso, é possível que eles tentem algo malicioso, como assumir o controle total dos fundos da pool. Leia nosso artigo sobre golpes do setor DeFi para evitar golpes e exit scams da melhor maneira possível.


Considerações finais

As pools de liquidez são uma das principais tecnologias por trás do conjunto de tecnologias do setor DeFi. Elas proporcionam trading descentralizado, empréstimos, geração de rendimentos e muito mais. Esses contratos inteligentes alimentam quase todas as partes do setor DeFi, e muito provavelmente continuarão a fazê-lo.