7 Indicadores que Todo Investidor DeFi Deveria Conhecer
Índice
Introdução
1. Total Value Locked (TVL)
2. Price-to-sales ratio (P/S ratio)
3. Fornecimento de tokens em corretoras
4. Variações do saldo de tokens em corretoras
5. Contagem de endereços únicos
6. Uso não-especulativo
7. Taxa de inflação
Considerações finais
7 Indicadores que Todo Investidor DeFi Deveria Conhecer
InícioArtigos
7 Indicadores que Todo Investidor DeFi Deveria Conhecer

7 Indicadores que Todo Investidor DeFi Deveria Conhecer

Iniciante
Published Sep 16, 2020Updated Oct 28, 2021
5m

TL;DR

Com o rápido avanço do setor DeFi, pode ser difícil de entender a avalanche de novos projetos. A análise fundamental procura determinar se um protocolo está supervalorizado ou subvalorizado, para que investidores e traders possam tomar melhores decisões sobre suas posições.

Quer saber como mensurar o valor "intrínseco" dos ativos DeFi? Continue lendo para aprender sobre algumas das métricas mais sólidas.


Introdução

As Finanças Descentralizadas (DeFi) estão avançando em um ritmo tão acelerado que pode ser difícil de acompanhar. Ainda mais difícil é ter tempo hábil para avaliar tantos novos projetos. O que o torna o processo ainda mais desafiador é a falta de uma abordagem padrão – há muitas maneiras diferentes de avaliar e comparar protocolos DeFi.
Mas não se preocupe. Falaremos sobre alguns dos indicadores usados que podem ser boas fontes de informação para investidores DeFi. Existe uma quantidade considerável de dados disponíveis publicamente na rede(on-chain), então é fácil para qualquer trader ou investidor usar esses indicadores. Nos inspiramos no tópico de Spencer Noon para discutir sobre alguns deles neste artigo.


1. Total Value Locked (TVL)

Como o nome sugere, Total Value Locked (TVL) - em português, Valor Total Bloqueado - é o valor agregado de fundos bloqueados em um protocolo DeFi. Você pode imaginar que o TVL representa toda a liquidez nas pools de liquidez de um determinado mercado financeiro. Por exemplo, no caso da Uniswap, o TVL representa a quantia de fundos depositados no protocolo pelos provedores de liquidez.

O TVL pode ser um dado útil que dá uma ideia geral sobre o grau de interesse no setor DeFi. O TVL também pode ser eficaz na comparação da "participação de mercado" de diferentes protocolos DeFi. Isso pode ser especialmente útil para investidores que procuram projetos DeFi subvalorizados.

Também vale notar que o TVL pode ser medido usando diferentes denominações. Por exemplo, o TVL Bloqueado em projetos Ethereum é geralmente medido em ETH ou USD.


2. Price-to-sales ratio (P/S ratio)

No caso de um negócio mais tradicional, a relação entre preço e venda - Price-to-Sales Ratio (P/S Ratio) - compara o preço das ações da empresa com sua receita. Essa proporção é usada para determinar se as ações estão subvalorizadas ou supervalorizadas.
Como muitos protocolos DeFi já geram receita, uma métrica semelhante pode ser usada para eles também. Como usar isso? Você deve dividir o valor de capitalização de mercado do protocolo por sua receita. A ideia é que quanto menor a proporção, mais subvalorizado está o protocolo. 

Lembre-se de que esta não é uma forma definitiva de calcular o valor de um protocolo. No entanto, ela pode dar uma ideia geral do quão justa é a avaliação do mercado sobre um projeto.


3. Fornecimento de tokens em corretoras

Outra estratégia envolve o rastreamento do fornecimento de tokens nas corretoras de criptomoedas. Quando os vendedores querem vender seus tokens, geralmente o fazem em corretoras/exchanges centralizadas (CEXs). Existem cada vez mais opções disponíveis para usuários em corretoras/exchanges descentralizadas (DEXs), que não exigem confiança em um intermediário. No entanto, plataformas centralizadas costumam ter muito mais liquidez. É por isso que é importante estar atento ao fornecimento de tokens das CEXs.
Vejamos uma hipótese simples sobre o fornecimento de tokens. Quando há um grande número de tokens nas exchanges, a pressão de venda pode ser maior. Como os holders (detentores) e baleias não estão mantendo seus fundos em suas carteiras pessoais, isso pode ser um indicativo de que eles pretendem vendê-los.
É claro que não é tão simples assim. Muitos traders usam seus ativos como colateral (garantia) para trading de margem ou de futuros. O envio de grandes valores para uma exchange não significa, necessariamente, que uma grande venda é iminente. De qualquer forma, pode ser um dado que vale a pena observar.


4. Variações do saldo de tokens em corretoras

Já sabemos que monitorar o fornecimento de tokens pode ser útil. Mas observar apenas os saldos de tokens pode não ser o bastante. Também pode ser uma boa ideia examinar as variações recentes desses saldos. Grandes variações no saldo de tokens nas exchanges podem indicar um aumento na volatilidade.
Considere, por exemplo, o cenário oposto ao que acabamos de discutir sobre saldos de tokens. Se grandes valores de holding estão sendo retirados de CEXs, isso pode indicar que as baleias estão acumulando tokens. Se eles tivessem a intenção de vendê-los, por que iriam enviar os tokens para suas próprias carteiras? Essa é a ideia básica sobre a utilidade do monitoramento de movimentações de tokens.



5. Contagem de endereços únicos

Embora esse indicador tenha suas limitações, uma quantidade cada vez maior de endereços contendo uma moeda ou token específico deve indicar um aumento em seu uso. Ou seja, isso pode sugerir que um aumento no número de endereços está relacionado a um aumento do número de usuários e consequentemente, a uma adoção crescente.

No entanto, esta é uma métrica maleável. Alguém pode criar milhares de endereços e distribuir fundos entre eles, dando assim a impressão de que o uso aumentou muito. Como acontece com qualquer métrica na análise fundamental, você deve comparar a contagem de endereços únicos com outros fatores.


6. Uso não-especulativo

Então você está de olho em um token emoji-based que promete retornos incríveis. Mas esse token realmente serve para alguma coisa? Ele pode obter o selo de aprovação Charles Ponzi se seu único propósito for a valorização do preço, mas não será sustentável por muito tempo.

Entender a função do token é fundamental para descobrir seu verdadeiro valor. Idealmente, você mensura isso observando o número de transações que não são realizadas para fins de especulação. Pode ser uma tarefa difícil. Um bom começo seria observar as transferências que não ocorrem em corretoras descentralizadas ou centralizadas. O objetivo é verificar se as pessoas estão usando o token em questão.


7. Taxa de inflação

Uau, um token com pouco fornecimento! Isso é um bom sinal, não é?

Não necessariamente. Outra métrica fundamental que deve ser observada é a taxa de inflação. Um fornecimento menor agora não garante que será assim para sempre, principalmente se novos tokens forem continuamente cunhados/emitidos. Uma propriedade notável do Bitcoin é uma taxa de inflação em constante diminuição, que teoricamente deve impedir a desvalorização de unidades existentes no futuro.

Isso não quer dizer que todo sistema deva replicar o método do Bitcoin. A inflação em si não é necessariamente ruim, mas em excesso pode ser muito prejudicial. Não existe uma porcentagem padronizada considerada "boa" ou "ruim", então é aconselhável considerar esse número ao avaliar outras métricas.


Considerações finais

Se você for um trader de criptomoedas experiente, perceberá que muitas dessas métricas são usadas na análise fundamental de criptomoedas "tradicionais". Se não estiver familiarizado com elas, recomendamos que você consulte o artigo O que é Análise Fundamental (FA)? para otimizar suas ferramentas de FA disponíveis.
Como sempre, os mercados são imprevisíveis, irracionais e sujeitos a alta volatilidade. Lembre-se de que fazer sua própria pesquisa é fundamental para o sucesso.
Quer saber mais sobre DeFi e análise fundamental? Confira nossa plataforma de perguntas e respostas, Ask Academy, onde a comunidade Binance responde as suas perguntas.