Guia sobre Fundos de Índice (ETF) de Bitcoin
Tabela de Conteúdos
Introdução
O que é um ETF de Bitcoin?
Por que um ETF de Bitcoin é importante?
Uma breve visão geral sobre ETFs de Bitcoin
O que é um ETF de Futuros de Bitcoin?
Eu devo investir em um ETF de Bitcoin?
Considerações finais
Guia sobre Fundos de Índice (ETF) de Bitcoin
Página Inicial
Artigos
Guia sobre Fundos de Índice (ETF) de Bitcoin

Guia sobre Fundos de Índice (ETF) de Bitcoin

Iniciante
Publicado em Mar 20, 2021Atualizado em Dec 28, 2022
5m

TL;DR

O Bitcoin já se consolidou como um ativo de investimento legítimo no qual qualquer pessoa pode investir. Bem, tecnicamente não é qualquer pessoa, já que algumas instituições e indivíduos ainda enfrentam limitações no âmbito regulatório. Muitos acreditam que um fundo de índice (exchange-traded fund ou ETF) do Bitcoin poderia ser a solução.

Os ETFs de Bitcoin são pools de ativos que têm o Bitcoin como referência e são oferecidos em bolsas tradicionais para serem negociados como ETFs. Isso dá aos investidores tradicionais acesso ao Bitcoin, sem a necessidade de que eles realmente possuam BTC.     

ETFs de Bitcoin já existem no Canadá e nos Estados Unidos e promovem a adoção das criptomoedas entre os investidores. Neste artigo, discutiremos o que é um ETF e qual a sua importância para o Bitcoin.

Introdução

O Bitcoin (BTC) e o mercado de criptomoedas já percorreram um longo caminho. Há menos de uma década, essa tecnologia era usada apenas por uma pequena comunidade de entusiastas, quando 10.000 BTC era equivalente ao valor de duas pizzas

Alguns anos depois, temos muitos negócios de sucesso no setor, inúmeros projetos de criptomoedas, o surgimento do DeFi e muito mais. A adoção institucional também decolou — a MicroStrategy converteu mais de US$ 2 bilhões do seu balanço patrimonial em Bitcoin e em breve, será possível comprar o mais novo lançamento da Tesla com BTC.

Mas o que falta para que o Bitcoin se torne um dos principais ativos no ambiente macroeconômico global? Uma sólida estrutura regulatória ajudaria instituições e investidores tradicionais a obter mais exposição ao BTC. Alguns acreditam que a melhor maneira de fazer isso seria através de um ETF de Bitcoin.

O que é um ETF de Bitcoin?

Primeiro, uma visão geral. Um ETF (exchange-traded fund) é um fundo de índice, ou seja, é um fundo de investimento que acompanha o preço de um ativo subjacente. Os ETFs existem em muitos setores e para diferentes classes de ativos. Por exemplo, ETFs de ouro existem há décadas e acompanham o preço do ouro.

Um ETF de Bitcoin é simplesmente um fundo de índice que consiste em Bitcoin ou ativos vinculados ao preço do Bitcoin. ETFs são produtos financeiros regulamentados, portanto, ETFs de Bitcoin e de outras criptomoedas são negociados em mercados tradicionais como o NASDAQ ou a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) e não em uma corretora de criptomoedas. Isso, no entanto, pode mudar no futuro, à medida que a barreira entre as finanças tradicionais e a indústria de criptomoedas diminui. 

O objetivo dos ETFs de Bitcoin é oferecer aos investidores tradicionais, que não se sentem à vontade para negociar criptomoedas, acesso ao Bitcoin, por meio de um veículo com o qual estão familiarizados. 

Por que um ETF de Bitcoin é importante?

O Bitcoin não é o ativo mais fácil de gerenciar. O fator custódia, por exemplo, pode causar muita dor de cabeça para grandes instituições. Afinal, a Goldman Sachs não vai simplesmente conectar uma carteira de hardware em um laptop e transferir US$ 2 bilhões de Bitcoin para ela. As grandes instituições financeiras não operam da mesma forma que os investidores individuais — elas precisam de uma estrutura regulatória complexa e de um sistema financeiro bem estruturado para participação no setor.

É por isso que um ETF pode ser fundamental para aumentar a adoção e expandir a base potencial de investidores. Ele pode oferecer exposição de preços aos participantes dos mercados tradicionais, sem que eles tenham que se preocupar com todos os detalhes de possuir as moedas fisicamente.

Um ETF de Bitcoin poderia conter um conjunto de ativos, incluindo Bitcoin, Ethereum, ações da Tesla e ouro, proporcionando aos investidores os benefícios da diversificação.

Uma breve visão geral sobre ETFs de Bitcoin

Geralmente, quando as pessoas falam sobre ETFs de Bitcoin, elas se referem aos ETFs nos mercados dos EUA. No entanto, existem ETFs em muitos mercados diferentes. Por exemplo, o primeiro ETF de Bitcoin (Purpose Bitcoin ETF) foi lançado no mercado de ações canadense e é negociado na Bolsa de Valores de Toronto com o ticker BTCC.

Ainda assim, por muito tempo, a atenção do mundo estava voltada aos reguladores dos EUA e à possível permissão de ETFs de Bitcoin no país. Finalmente, em outubro de 2021, a Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA aceitou um pedido para listar o ETF ProShares Bitcoin Strategy (BITO) na NYSE. 

Historicamente, a maioria das aplicações foi rejeitada devido à volatilidade, à natureza não regulamentada e à aparente tendência de manipulação de mercado do Bitcoin. Embora essas preocupações sejam válidas até certo ponto, elas também estão presentes em muitos outros mercados financeiros que já utilizam ETFs.

Grande parte da estrutura financeira necessária para que o Bitcoin seja uma classe legítima de macro ativo foi construída no último período de baixa do mercado. Se a MicroStrategy quisesse comprar bilhões de dólares em Bitcoins alguns anos atrás, provavelmente teria sido extremamente difícil de fazê-lo. Agora, no entanto, tanto a infraestrutura quanto a liquidez têm capacidade para atender até mesmo os grandes investimentos.

Este amadurecimento contínuo dos mercados de Bitcoin provavelmente mudou a situação legal e regulatória e, eventualmente, tornou possível a criação dos ETFs de Bitcoin nos EUA, como vemos hoje.

O que é um ETF de Futuros de Bitcoin?

Nem todos os ETFs de Bitcoin são atrelados a BTCs mantidos em carteiras, conhecidos como ETFs físicos de Bitcoin. Muitos ETFs de Bitcoin, como o BITO, usam contratos futuros de BTC como ativo subjacente. 

Até o momento, a SEC favoreceu os ETFs de futuros vinculados aos futuros de Bitcoin da Chicago Mercantile Exchange (CME), corretora financeira já regulamentada. Um ETF de futuros de Bitcoin usa o preço do Bitcoin Reference Rate (BRR) da CME, em vez do preço spot. Ou seja, a única diferença entre um ETF físico de Bitcoin e um ETF de futuros de Bitcoin é a origem de derivação de seus preços.

Eu devo investir em um ETF de Bitcoin?

Um ETF de Bitcoin é o instrumento financeiro adequado para investir em Bitcoin? Se você quer simplesmente proteger suas economias contra a queda das moedas fiduciárias, talvez seja melhor comprar apenas Bitcoin. 

Afinal, o Bitcoin representa a democratização financeira, embora também represente outras coisas. Mas ter a custódia direta de suas economias pode ser algo muito poderoso. Além disso, existem inúmeras maneiras pelas quais você pode obter rendimento ou fazer empréstimos com seu Bitcoin. 

Dito isso, existem vantagens em investir em um ETF de Bitcoin. Se alguma delas for benéfica para você, um ETF pode ser uma ótima opção de investimento.

Considerações finais

Os ETFs de Bitcoin permitem que os investidores nos mercados tradicionais obtenham exposição ao Bitcoin de maneira regulamentada. Eles podem ser uma boa opção para promover a adoção institucional das criptomoedas como uma classe de ativos. Agora que a base regulatória foi implantada nos Estados Unidos, veremos quão dispostos estarão os investidores para exposição de seus portfólios em relação ao BTC.