O que é Spoofing nos Mercados Financeiros?
O que é Spoofing nos Mercados Financeiros?
InícioArtigos

O que é Spoofing nos Mercados Financeiros?

Intermediário
Published Jan 6, 2021Updated Mar 22, 2021
5m

TL;DR

Spoofing é uma forma de manipulação de mercado em que um trader insere ordens de compra ou venda falsas, nunca havendo a intenção de que elas sejam de fato executadas pelo mercado. Geralmente, o spoofing é feito usando algoritmos e bots na tentativa de manipular o mercado e os preços dos ativos, criando uma falsa sensação de oferta ou demanda.

O spoofing é ilegal na maioria dos principais mercados, incluindo os mercados dos Estados Unidos e do Reino Unido.


Introdução

Muitos falam sobre como os grandes traders e as baleias (whales) manipulam os mercados. Embora muitas dessas teorias possam ser facilmente contestadas, existem alguns métodos bem conhecidos de manipulação de mercado que exigem grandes valores em holdings/participações. Uma delas é a técnica chamada de spoofing.


O que é spoofing?

O spoofing é uma forma de manipular os mercados, colocando ordens falsas para compra ou venda de ativos, como ações, commodities e criptomoedas. Normalmente, os traders que tentam "falsificar" o mercado usam bots ou algoritmos para criar ordens de compra ou venda automaticamente. Quando as ordens chegam perto de serem executadas, os bots as cancelam.

A principal ideia por trás do spoofing é tentar criar uma falsa impressão de pressão de compra ou venda. Por exemplo, um "spoofer" pode criar um grande número de ordens de compra falsas para criar uma falsa sensação de alta demanda em determinado nível de preço. Então, quando o mercado se aproxima desse nível, eles excluem as ordens e o preço continua caindo.


Como os mercados normalmente respondem ao spoofing

O mercado costuma reagir rapidamente a ordens falsificadas já que não há uma maneira ideal de dizer se é uma ordem é real ou falsa. O spoofing pode ser especialmente eficiente se as ordens forem colocadas em áreas-chave do interesse de compradores e vendedores, como áreas mais relevantes de suporte ou resistência.

Vamos usar o Bitcoin como exemplo. Suponha que o Bitcoin tenha um forte nível de resistência de $10.500. Em análise técnica, o termo resistência significa uma área onde o preço encontra um ‘teto’. Naturalmente, é aqui que se espera que os vendedores façam suas ofertas para vender suas participações. Se o preço for rejeitado em um nível de resistência, ele pode cair bruscamente. No entanto, se ele ultrapassar a resistência, haverá uma probabilidade maior de que o movimento continue no sentido positivo.

Caso o nível de $10.500 pareça ser uma resistência sólida, os bots colocarão ordens falsas um pouco acima dele. Quando os compradores veem uma enorme quantidade de ordens de venda acima de um nível técnico tão importante, eles se sentem menos encorajados a comprar neste determinado nível. É dessa forma que o spoofing busca a manipulação efetiva do mercado.

Algo importante a se observar aqui é que o spoofing pode ser eficaz entre diferentes mercados onde todos estão vinculados ao mesmo instrumento subjacente. Por exemplo, falsas ordens (spoof) de grandes valores no mercado de derivativos podem afetar o mercado spot do ativo em questão - e vice-versa.


Quando o spoofing é menos eficaz?

O spoofing pode se tornar mais arriscado quando há uma probabilidade maior de movimentos inesperados do mercado.

Por exemplo, vamos supor que um trader quer fazer um spoof de venda de um nível de resistência. Se houver uma forte alta ocorrendo e o Fear Of Missing Out (FOMO) entre os traders de repente provocar uma enorme volatilidade, as ordens falsificadas serão rapidamente executadas. Obviamente, isso não é o ideal para o spoofer, pois eles não pretendem entrar, de fato, na posição. Da mesma forma, um short squeeze ou um flash crash pode preencher até mesmo uma ordem de grande valor em questão de segundos.

Quando uma tendência de mercado é impulsionada principalmente pelo mercado spot, o spoofing torna-se cada vez mais arriscado. Por exemplo, se uma tendência de alta for impulsionada pelo mercado spot, indicando alto interesse pela compra direta do ativo, o spoofing pode ser menos eficaz. No entanto, isso depende muito do ambiente de mercado específico e de muitos outros fatores.


O spoofing é ilegal?

O spoofing é ilegal nos Estados Unidos. A Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA (CFTC - Commodity Futures Trading Commission) é responsável pela regulação e monitoramento de atividades de spoofing nos mercados de ações e commodities. 

Nos EUA, o spoofing é ilegal sob a Seção 747 da Lei Dodd-Frank de 2010. A seção diz que o CFTC pode regular/monitorar uma entidade que:

demonstra desconsideração intencional ou imprudente pela execução ordenada de transações durante o período de fechamento; ou que seja, tenha o caráter de, ou seja comumente reconhecida no setor de trade como, ‘spoofing’ (licitação ou oferta com a intenção de cancelar a mesma antes de sua execução).

A menos que a ação se torne muito repetitiva, é difícil identificar quais ofertas canceladas no mercado de futuros se trata de spoofing. É por isso que os responsáveis pela regulamentação também devem leva em conta a intenção por trás das ordens antes de aplicar uma multa ou questionar sobre um potencial comportamento de spoofing.

Outros mercados financeiros importantes, como o Reino Unido, também regulam e monitoram o spoofing. A Autoridade de Conduta Financeira (FCA - Financial Conduct Authority) do Reino Unido tem permissão para aplicar multas a traders e instituições responsáveis por prática de spoofing. 



Por que o spoofing é ruim para os mercados?

Portanto, o spoofing é ilegal e geralmente tem um efeito prejudicial nos mercados. Mas por quê? Bem, o spoofing pode causar alterações de preço que, de outra forma, não seriam refletidas na oferta e na demanda do mercado. Como os spoofers detêm o controle sobre esses movimentos de preços, eles são capazes de obter lucro. 

Os órgãos reguladores nos EUA também expressaram preocupação sobre a manipulação de mercado no passado. Em dezembro de 2020, a Securities and Exchange Commission (SEC) dos Estados Unidos rejeitou todas as propostas de fundos negociados em exchanges de Bitcoin (ETF - exchange traded fund). Quando aprovado, um ETF permite que investidores mais tradicionais nos EUA obtenham exposição a um ativo, como o Bitcoin. Normalmente são mencionados vários fatores para rejeitar as propostas – um dos fatores é que eles não consideram o mercado de Bitcoins imune à manipulação de mercado. 

No entanto, isso está mudando conforme os mercados de Bitcoin entram em uma nova fase de maturidade, com maior liquidez e adoção institucional.


Considerações finais

Spoofing é uma técnica de manipulação de mercado que envolve a criação de ordens falsas. Embora não seja impossível, é difícil identificá-las de forma consistente. Avaliar se a remoção de ordens de compra/venda é considerada spoofing requer uma análise completa das intenções por trás da criação das ordens.

Reduzir ou minimizar o spoofing é algo desejável em qualquer mercado, pois isso proporciona um ambiente mais equilibrado para todos os envolvidos. Uma vez que os reguladores consideram a manipulação do mercado uma das razões pela qual ocorre a rejeição de Bitcoins ETFs, os esforços para minimizar o spoofing podem, a longo prazo, trazer benefícios para o mercado de criptomoedas.

Tem mais perguntas sobre spoofing? Confira nossa plataforma de perguntas e respostas, Ask Academy, onde a comunidade Binance responde as suas perguntas.