Guia Sobre Elastic Supply Tokens
Guia Sobre Elastic Supply Tokens
InícioArtigos

Guia Sobre Elastic Supply Tokens

Intermediário
Published Dec 7, 2020Updated Jun 25, 2021
6m

TL;DR

Os elastic supply tokens têm um fornecimento circulante variável. A ideia é que, em vez da volatilidade dos preços, o que muda é a oferta de tokens através de eventos chamados de "rebases". 

Imagine se o protocolo Bitcoin pudesse ajustar a quantidade de bitcoin nas carteiras dos usuários para atingir um preço-alvo. Imagine que hoje você tenha 1 BTC. Amanhã, você acorda e de repente tem 2 BTC, mas o valor de cada um é metade do valor do dia anterior. É assim que funciona o mecanismo de "rebase".


Introdução

As Finanças Descentralizadas (DeFi) apresentaram uma explosão de novos tipos de produtos financeiros na blockchain. Já discutimos o yield farming, Bitcoin tokenizado na Ethereum, Uniswap e flash loans. Um outro segmento interessante do setor cripto são os elastic supply tokens (tokens de fornecimento elástico), também conhecidos como "rebase tokens".

O exclusivo mecanismo por trás deles permite muita experimentação. Vamos dar uma olhada no funcionamento desses tokens.


O que é um elastic supply token?

Um elastic supply token (ou rebase token) funciona de forma que o fornecimento em circulação aumenta ou diminui devido a mudança de preço do token. Essa variação na oferta funciona com um mecanismo chamado "rebasing". Quando ocorre um rebase, o fornecimento do token aumenta ou diminui algoritmicamente, com base no preço atual de cada token.
De certa forma, os tokens de fornecimento elástico apresentam semelhanças com as stablecoins. Eles visam atingir um preço-alvo e a mecânica de rebase facilita isso. No entanto, a principal diferença é que os tokens de rebasing tentam atingir o preço-alvo através de uma oferta variável (daí o nome, fornecimento elástico). 
Você pode estar se perguntando: "mas não existem muitas criptomoedas operando com um fornecimento variável?" De certa forma, sim. Atualmente, 6,25 novos BTC são emitidos a cada bloco válido. Após o halving de 2024, esse valor será reduzido para 3,125 por bloco. É uma taxa previsível, então podemos estimar o fornecimento de BTC no próximo ano ou após o próximo evento de halving. 

Os tokens de fornecimento elástico funcionam de maneira diferente. Conforme mencionado, o mecanismo de rebase ajusta periodicamente o fornecimento em circulação do token. Digamos que temos um token de fornecimento elástico que visa atingir o valor de 1 USD. Se o preço estiver acima de 1 USD, o rebase aumenta a oferta atual, reduzindo o valor de cada token. Por outro lado, se o preço estiver abaixo de 1 USD, o rebase diminuirá o fornecimento, fazendo com que cada token valha mais.

O que isso significa do ponto de vista prático? A quantidade de tokens nas carteiras dos usuários muda quando ocorre um rebase. Digamos que temos Rebase de USD (rUSD), um token hipotético que tem como alvo o preço de 1 USD. Você tem 100 rUSD guardados com segurança em sua carteira de hardware. Digamos que o preço esteja abaixo de 1 USD. Depois do rebase, você terá apenas 96 rUSD em sua carteira, mas, ao mesmo tempo, cada um valerá mais, proporcionalmente, do que antes do rebase.

A ideia é que, com o rebase, a proporção de seus holdings (fundos) em relação à oferta total não tenha mudado. Se antes do rebase você tinha 1% do fornecimento total, ainda deve ter 1% depois dele, mesmo que o número de moedas em sua carteira tenha mudado. Em essência, você mantém sua parcela de participação na rede, independentemente do preço do token.


Exemplos de Rebasing de tokens

Ampleforth

Ampleforth é uma das primeiras moedas a trabalhar com um fornecimento elástico. A proposta da Ampleforth é ser uma mercadoria/commodity sintética não colateralizada (sem garantia), onde 1 AMPL tem como alvo o preço de 1 USD. Os rebases ocorrem uma vez a cada 24 horas.

O projeto apresentou um impacto relativamente baixo até a introdução de uma campanha de mineração de liquidez chamada Geyser. O que é particularmente interessante sobre esse esquema é a sua duração. Ele distribui tokens para participantes por um período de 10 anos. A campanha Geyser é um excelente exemplo de como os incentivos de liquidez podem impulsionar significativamente um projeto DeFi.

Embora seja tecnicamente uma stablecoin, o gráfico de preços da AMPL mostra como os tokens de fornecimento elástico podem ser muito voláteis.


 

O preço alvo da AMPL é de 1 USD, mas ainda assim pode ser bastante volátil.


Lembre-se de que este gráfico de preços mostra apenas o preço de tokens AMPL individuais e não leva em consideração as mudanças no fornecimento. Ainda assim, a Ampleforth é uma moeda muito volátil e que apresenta alto nível de risco.

Pode fazer mais sentido mapear tokens de fornecimento elástico em termos de capitalização de mercado. Como nesse caso o preço unitário não tem tanta importância, o valor de capitalização de mercado pode ser uma métrica mais precisa em relação ao crescimento da rede.
Capitalização de mercado total em escala logarítmica. Fonte: coinmarketcap.com.


Yam Finance

Yam Finance é um dos outros projetos de tokens de fornecimento elástico que ganhou força. O design geral do protocolo Yam é uma espécie de combinação entre o fornecimento elástico da Ampleforth, o sistema de staking Synthetix e o "lançamento justo" da yearn.finance. O YAM também tem como objetivo atingir um preço alvo de 1 USD.

O YAM é um experimento totalmente pertencente à comunidade, já que todos os tokens foram distribuídos por meio de mineração de liquidez. Não houve pré-mineração e nenhuma alocação do fundador – a maneira de se obter esses tokens era a mesma para todos através de um esquema de yield farming.

Como um projeto completamente novo e desconhecido, em menos de dois dias o Yam alcançou 600 milhões de dólares em valor bloqueado em suas pools de staking. O que possivelmente atraiu muita liquidez é como o farming de YAM tinha como alvo específico os holders de algumas das moedas DeFi mais populares: COMP, LEND, LINK, MKR, SNX, ETH, YFI e tokens LP ETH-AMPL do Uniswap.

No entanto, devido a um bug no mecanismo de rebase, houve uma emissão muito maior do que a planejada. O projeto foi relançado e migrado para um novo contrato de token graças a uma auditoria financiada pela comunidade e esforço conjunto. Agora, o futuro do projeto Yam está completamente nas mãos dos holders (detentores) de YAM.


Riscos associados aos elastic supply tokens

Os tokens de fornecimento elástico são investimentos que apresentam altíssimos riscos. Recomendamos que você invista somente se entender completamente o que está fazendo. Lembre-se de que olhar os gráficos de preços não vai ser muito útil, pois a quantidade de tokens que você possui mudará após os eventos de rebase. 

É claro que isso pode ser algo positivo e amplificar seus ganhos, mas também pode amplificar suas perdas. Se os rebases ocorrerem enquanto o preço do token estiver caindo, você não só perderá dinheiro com a queda do preço, mas também terá cada vez menos tokens após cada rebase! 

Como os rebasing tokens são difíceis de entender, investir neles provavelmente resultará em prejuízo para a maioria dos traders. Apenas invista em tokens de fornecimento elástico se entender completamente os mecanismos de funcionamento. Caso contrário, você não estará no controle de seu investimento e não será capaz de tomar decisões bem embasadas.



Considerações finais

Os tokens de fornecimento elástico são uma das inovações a serem observadas do setor DeFi. Como vimos, são moedas e tokens que podem ajustar seu fornecimento através de algoritmos na tentativa de atingir um preço-alvo.

Os tokens de fornecimento elástico são somente um experimento interessante ou ganharão força significativa e serão capazes de expandir seu nicho? É difícil dizer, mas certamente existem novos designs de protocolos DeFi em desenvolvimento que tentam levar essa ideia mais adiante.

Ainda tem dúvidas sobre elastic supply tokens ou outros projetos DeFi? Confira nossa plataforma de perguntas e respostas, Ask Academy, onde a comunidade Binance responde as suas perguntas.