O que é Chainlink (LINK)?
InícioArtigos

O que é Chainlink (LINK)?

Iniciante
3w ago
5m

TL;DR - Resumo

O Chainlink se tornou um dos projetos mais usados no setor de criptomoedas. É um serviço descentralizado de oráculos que pode fornecer dados externos para contratos inteligentes na Ethereum. Em outras palavras, ele conecta blockchains com o mundo real.

Você pode imaginar o Chainlink como um comitê de homens e mulheres sábios(as) que estão constantemente tentando determinar o que está mais próximo da verdade. Mas por que eles podem ser considerados mais confiáveis do que outros? Vamos ver.

 

Introdução 

Contratos inteligentes automatizam acordos na blockchain. Eles avaliam informações e, se certas condições forem atendidas, eles efetuam a execução. No entanto, isso representa um problema.

As blockchains realmente não dispõem de nenhuma boa maneira de acessar dados externos. A dificuldade de conectar dados off-chain (externos) com dados on-chain (internos) é um dos grandes desafios enfrentados pelos contratos inteligentes.

A rede Chainlink tenta resolver este problema fornecendo um serviço descentralizado de oráculo. Basicamente, um oráculo é um software que traduz dados externos para uma linguagem que os contratos inteligentes podem entender (e vice-versa). Se quiser ler mais sobre eles, confira nosso artigo Guia Sobre os Oráculos Blockchain.

Mas qual é a diferença entre o Chainlink e outros oráculos de blockchain? Vamos descobrir. 

 

O que é Chainlink?

Chainlink é uma rede descentralizada de oráculos com base na tecnologia blockchain que permite que os contratos inteligentes se conectem a fontes de dados externas. Isso pode incluir APIs, sistemas internos ou outros tipos de fontes de dados externas. LINK é um token ERC-20 usado para pagar por este serviço de oráculo na rede.

E o que torna a rede Chainlink descentralizada? Primeiro, precisamos entender o que é um oráculo centralizado. Não é difícil de adivinhar – se trata de um provedor único de informações externas para um contrato inteligente. É apenas uma fonte. Isso pode acarretar grandes problemas. E se o oráculo fornecer dados falsos ou incorretos? Todos os sistemas que dependem dele irão falhar. Esse problema é geralmente chamado de "the oracle problem" ("o problema do oráculo") – e é exatamente esse problema que o projeto Chainlink procura resolver.


Como funciona o Chainlink?

O Chainlink usa uma rede de nodes (nós) para tentar de tornar os dados fornecidos para contratos inteligentes tão confiáveis e seguros quanto possível.

Digamos que um contrato inteligente exija dados do mundo real e faça uma solicitação por eles. O protocolo Chainlink registra este evento e o encaminha para os nodes da rede Chainlink para que estes recebam seus “bids” (lances) referentes à solicitação.

O que torna este processo poderoso é como o Chainlink pode validar dados de múltiplas fontes. Devido a um sistema de reputação interno a rede Chainlink pode determinar com uma precisão relativamente alta quais fontes são confiáveis. Isso ajuda a aumentar muito a precisão dos resultados e a proteger os contratos inteligentes de todos os tipos de ataques.

E como tudo isso se conecta ao LINK? Os contratos inteligentes que solicitam os dados pagam tokens LINK aos operadores de nodes da rede Chainlink, em troca de seus serviços. Os preços são definidos pelos operadores de nodes, com base nas condições de mercado para os dados em questão.

Os operadores de nodes também fazem staking na rede para garantir um compromisso de longo prazo com o projeto. Da mesma forma que o modelo criptoeconômico do Bitcoin, os operadores de nodes Chainlink são incentivados a agir honestamente.


Chainlink e DeFi

Com o aumento de popularidade das Finanças Descentralizadas (DeFi), presenciamos um crescente interesse em serviços de oráculos de alta qualidade. Afinal, a maioria desses projetos usa contratos inteligentes de uma forma ou de outra e também precisam de dados externos para funcionar corretamente.

Com serviços de oráculos centralizados, as plataformas DeFi podem se tornar vulneráveis a uma ampla gama de ataques, incluindo ataques de flash loan através da manipulação do oráculo. Vários incidentes como esse já ocorreram e provavelmente continuarão acontecendo se o uso de oráculos centralizados continuar sendo uma prática comum.

Muitas pessoas podem pensar que a rede Chainlink é capaz de resolver todos esses problemas – isso pode não ser verdade. Apesar de projetos como Synthetix, Aave e outros dependerem da tecnologia da Chainlink, novos tipos de riscos e ameaças surgem com o tempo. Se muitas plataformas dependerem de um mesmo serviço de oráculo, todas elas terão problemas caso a Chainlink pare de funcionar de repente.

Isso pode parecer improvável. Afinal, o Chainlink é um serviço de oráculo descentralizado que supostamente não apresenta um ponto único de falha. Mesmo assim, em setembro de 2020, os nodes da Chainlink sofreram um “spam attack” em que um invasor possivelmente drenou cerca de 700 ETH das carteiras dos operadores de nodes. O ataque foi resolvido rapidamente, mas serve como um alerta de que nem todos os sistemas são completamente resistentes a atividades maliciosas.


Fornecimento e emissão de LINK

O LINK tem um fornecimento máximo de 1 bilhão de tokens. 35% deles foram vendidos durante a ICO (Initial Coin Offering) em 2017. A empresa fundadora do projeto detém cerca de 300 milhões de tokens.

Diferentemente de muitos outros criptoativos, o LINK não oferece um processo de mineração ou staking que aumenta seu fornecimento total em circulação.


Como armazenar LINK

O LINK não tem uma blockchain nativa própria. Ele existe como um token na blockchain Ethereum. Os tokens LINK seguem o padrão ERC-667, que é uma extensão do padrão ERC-20. Resumindo, você pode armazenar LINK em qualquer carteira compatível, como a Trust Wallet ou MetaMask.

 

Para que se utiliza o LINK?

Como mencionamos, os operadores de nodes Chainlink podem fazer staking de LINK como uma forma de oferecer uma oferta ao comprador de dados. O operador do node que "ganha" a licitação deve fornecer as informações ao contrato inteligente que fez a solicitação. Todos os pagamentos para operadores de nodes acontecem na forma de tokens LINK.

Essa abordagem incentiva os operadores de nodes a continuarem acumulando. Por quê? Possuir mais tokens significa acesso a contratos de dados cada vez maiores. Se um operador de node infringir as regras, seus tokens LINK serão removidos.

 

 

Quem são os LINK Marines?

É uma prática comum entre projetos cripto dar um apelido aos membros de sua comunidade. O projeto Chainlink foi um dos primeiros e mais bem-sucedidos exemplos desse fenômeno com o “LINK Marines”.

Esse tipo de criação da comunidade está se tornando uma tática de marketing cada vez mais eficaz no mercado de criptomoedas. Os principais apoiadores podem criar grande engajamento e atrair a atenção de redes sociais e da mídia para o projeto, o que pode então refletir em outras métricas.

 

Considerações finais

A tecnologia da Chainlink provou ser um dos pilares mais importantes do DeFi e um ecossistema cripto mais amplo. Embora isso apresente riscos ao setor DeFi da Ethereum, fontes de dados externas confiáveis representam um dos alicerces mais importantes para o desenvolvimento saudável de um ecossistema de produtos on-chain.

Ainda tem dúvidas sobre Chainlink ou LINK? Confira nossa plataforma de perguntas e respostas,Ask Academy, onde a comunidade Binance responde as suas perguntas.