O que são Tokens de Governança?
Página Inicial
Artigos
O que são Tokens de Governança?

O que são Tokens de Governança?

Iniciante
Publicado em Jun 13, 2022Atualizado em Sep 29, 2022
5m

TL;DR

Os tokens de governança dão aos holders o direito de votar em propostas que regem o desenvolvimento e as operações de um projeto blockchain. Através desse método, os projetos podem distribuir o poder de decisão para suas comunidades. Esse modelo de governança descentralizado ajuda a alinhar os interesses dos holders de tokens com os do projeto.


Introdução

Muitas empresas tradicionais são governadas por um conselho de administração ou um pequeno grupo de pessoas, no que pode ser categorizado como um modelo de governança centralizada. A média de tamanho dos conselhos das maiores empresas é de cerca de 10 pessoas. Esses membros detêm um enorme poder sobre a forma como as empresas são administradas. Os diretores têm o poder de nomear ou demitir executivos ou funcionários de cargos altos, decidir em quais projetos investir e definir as estratégias da empresa.

Os tokens de governança oferecem uma maneira diferente de gerenciar as organizações. Comuns em organizações autônomas descentralizadas (DAOs) e finança descentralizadas (DeFi), o modelo dos tokens de governança oferece um método de governança mais justo, descentralizado e transparente. Na maioria dos casos, um token equivale a um voto. Esses tokens são projetados para unir as comunidades e garantir que os projetos de blockchain se desenvolvam de forma saudável.


Como funcionam os tokens de governança? 

Os tokens de governança são o principal método para realizar a governança descentralizada em projetos de DAOs, DeFi e aplicativos descentralizados (DApp). Geralmente, eles são distribuídos a usuários ativos como recompensa por sua lealdade e por suas contribuições para a comunidade. Em troca, os holders de tokens votam nas principais propostas, para garantir o desenvolvimento saudável dos projetos. Normalmente, a votação ocorre através de contratos inteligentes. Nesse caso, os resultados são implementados automaticamente.

Um dos primeiros tokens de governança foi emitido pelo MakerDAO, uma DAO baseada na Ethereum que sustenta a stablecoin cripto-colateralizada, DAI. O Maker Protocol é gerenciado pelos holders de seu token de governança, o MKR. Um token MKR equivale a um voto. A proposta com mais votos é implementada. Os holders de tokens votam em diversas propostas, como a nomeação de membros da equipe, o ajuste de taxas e a adoção de novas regras. O objetivo é garantir a estabilidade, a transparência e a eficiência da stablecoin do MakerDao.

Outro exemplo é a plataforma Compound, um protocolo DeFi que permite que os usuários solicitem ou ofereçam empréstimos de criptomoedas. O Compound emite o token de governança COMP, permitindo que os usuários de sua comunidade votem nas principais propostas e decisões. Os tokens são alocados proporcionalmente à atividade on-chain dos usuários. Em outras palavras, quanto mais empréstimos você faz ou solicita na Compound, mais tokens COMP você recebe. 

Da mesma forma que o MakerDAO, um token COMP equivale a um voto. Os usuários também podem delegar seus tokens a outras pessoas para que elas votem em seu nome. É importante notar que, em 2020, a Compound renunciou ao controle da chave de administrador da rede. Isso significa que o projeto tornou-se completamente governado por seus holders de tokens, sem nenhum método de governança substituto.

Outros tokens de governança importantes incluem os emitidos pelas corretoras descentralizadas Uniswap e PancakeSwap, pela plataforma de empréstimos DeFi Aave, pela comunidade de Web3 e NFTs, pela DAO da ApeCoin e também os emitidos pela plataforma de mundo virtual, Decentraland. 

Cada projeto define regras diferentes sobre o funcionamento dos tokens de governança. Os tokens são distribuídos aos stakeholders, incluindo a equipe fundadora, investidores e usuários, de acordo com diferentes modelos de cálculo. Alguns tokens de governança oferecem poder de voto apenas para um determinado conjunto de propostas de governança. Outros, para praticamente todas as decisões de seu respectivo projeto. Alguns tokens de governança podem gerar dividendos financeiros, outros não.  


Prós e contras dos tokens de governança

Os tokens de governança oferecem alguns grandes benefícios. Eles são capazes de eliminar o desalinhamento de interesses, frequente em modelos de governança centralizada. A governança descentralizada habilitada por tokens de governança transfere esse poder de gestão para uma ampla comunidade de stakeholders, alinhando os interesses dos usuários e da própria organização.

Outra vantagem dos tokens de governança é a capacidade de construir comunidades ativas, colaborativas e próximas. Todo holder de token é incentivado a votar e melhorar o projeto. Como um token equivale (quase sempre) a um voto, esse modelo oferece as bases para decisões justas e mais equitativas. Todos os holders de tokens podem iniciar uma proposta a ser votada. Os detalhes em relação a cada voto são públicos, o que diminui a chance de trapaça.

O maior desafio dos tokens de governança é o chamado "whales problem" (problema das baleias). "Baleias" são pessoas que detêm uma grande porcentagem do fornecimento total de uma determinada criptomoeda. Se as maiores baleias de um projeto de cripto detiverem uma parte significativa do fornecimento geral do token de governança do projeto, elas poderão manipular o processo de votação a seu favor. Os projetos devem garantir que a propriedade do token seja realmente descentralizada e distribuída uniformemente.

Mas mesmo que os tokens de governança sejam distribuídos de forma ampla e justa, não há garantia de que as decisões da maioria sejam sempre as melhores para os projetos. Os sistemas eleitorais de um voto por pessoa têm uma longa história e um histórico misto. Houve casos em que os holders de tokens de governança votaram para beneficiar as equipes fundadoras e grandes investidores, às custas da comunidade em geral.

 

Quais são as expectativas para os tokens de governança? 

Como uma inovação oriunda do ecossistema cripto, os tokens de governança podem encontrar um uso mais amplo em mais setores. Com o movimento da Web3, os tokens de governança podem ajudar a construir uma internet descentralizada. À medida que setor DeFi e as DAOs ganham força, outros setores, como a indústria de jogos, também podem adotar esse modelo de governança.

Os tokens de governança continuarão evoluindo para corrigir potenciais problemas. É possível que sejam criados novos mecanismos para lidar com o problema das baleias ou outras formas de melhorar o processo de votação. Também podem surgir novos métodos de delegação de votos. Este setor, provavelmente, se tornará mais complexo, conforme mais inovações são apresentadas. 

Outro fator importante que afeta o futuro dos tokens de governança são as possíveis mudanças regulatórias. Alguns governos classificam esses tokens como títulos. Isso pode sujeitá-los a regulamentações rígidas e afetar o seu funcionamento. 


Considerações finais

Os tokens de governança ainda estão nos estágios iniciais de desenvolvimento. Eles facilitaram o crescimento saudável de muitos projetos DeFi e DAOs. Como é o poder de voto que determina a gestão dos projetos, esses tokens são fundamentais para a descentralização. 

O princípio de um voto por token coloca os usuários e a comunidade no centro, desde que os tokens sejam distribuídos de forma relativamente igual entre os membros. Possivelmente, os tokens de governança irão continuar se desenvolvendo no futuro. Projetos Web3, jogos e redes de propriedade do usuário podem adotar tokens de governança para construir ecossistemas descentralizados mais sólidos.