O que é uma Blockchain Bridge?
Tabela de Conteúdos
Introdução
Por que precisamos de blockchain bridges?  
Como funcionam as blockchain bridges? 
Quais são os tipos de blockchain bridges? 
Benefícios das blockchain bridges
Riscos associados às blockchain bridges
Qual é o futuro das blockchain bridges? 
Considerações finais
O que é uma Blockchain Bridge?
Página Inicial
Artigos
O que é uma Blockchain Bridge?

O que é uma Blockchain Bridge?

Intermediário
Publicado em Jun 22, 2022Atualizado em Nov 11, 2022
7m

TL;DR

Uma blockchain bridge (ou "ponte blockchain") é um protocolo que conecta duas blockchains para permitir interações entre elas. Se você possui Bitcoin, mas quer participar da atividade DeFi na rede Ethereum, uma blockchain bridge permite que você faça isso sem precisar vender seu Bitcoin. Blockchain bridges são fundamentais para alcançar a interoperabilidade dentro do espaço blockchain.

 

Introdução

Para entender o que é uma blockchain bridge, primeiro você precisa entender o que é uma blockchain. Bitcoin, Ethereum e BNB Smart Chain são alguns dos principais ecossistemas de blockchain. Todos contam com diferentes protocolos de consenso, linguagens de programação e regras específicas do sistema. 

A blockchain bridge é um protocolo que conecta duas blockchains separadas, econômica e tecnologicamente, para permitir interações entre elas. Esses protocolos funcionam como uma ponte que liga uma ilha a outra, sendo que as ilhas, neste caso, são ecossistemas blockchain separados.

Sendo assim, as blockchain bridges oferecem interoperabilidade. Ou seja, elas permitem que ativos digitais e dados hospedados em uma blockchain possam interagir com os ativos e dados de outra. A interoperabilidade é uma característica fundamental da Internet: máquinas em todo o mundo usam o mesmo conjunto de protocolos abertos para se comunicar. No setor blockchain, onde existem muitos protocolos distintos, as blockchain bridges são essenciais para facilitar a troca de dados e valores. 


Por que precisamos de blockchain bridges?  

À medida que a tecnologia blockchain se desenvolveu e se expandiu, uma das maiores limitações foi a dificuldade de diferentes blockchains trabalharem juntas. Cada blockchain tem suas próprias regras, tokens, protocolos e contratos inteligentes. As blockchain bridges ajudam a contornar esse problema e a unir os ecossistemas cripto. Uma rede interconectada de blockchains possibilita e facilita o intercâmbio de tokens e dados. 

Além de permitir transferências cross-chain, as bridges oferecem outros benefícios. Com elas, os usuários têm acesso a novos protocolos em outras blockchains e os desenvolvedores de diferentes comunidades blockchain podem trabalhar de forma cooperativa. Em outras palavras, blockchain bridges são um componente essencial para um futuro com mais interoperabilidade da indústria blockchain.

 

Como funcionam as blockchain bridges? 

O caso de uso mais comum para uma blockchain bridge é a transferência de tokens. Por exemplo, digamos que você quer transferir Bitcoin (BTC) para a rede Ethereum. Uma maneira de fazê-lo é vender seu BTC e depois comprar Ether (ETH). Entretanto, neste caso, você precisaria pagar taxas de transação e estaria exposto à volatilidade dos preços. 

Como alternativa, você pode alcançar seu objetivo utilizando uma blockchain bridge, sem precisar vender suas criptomoedas. Ao transferir (bridging) 1 BTC para uma carteira da Ethereum, um contrato de blockchain bridge bloqueará seu BTC e criará uma quantia equivalente de Wrapped BTC (WBTC), que é um token ERC-20 compatível com a rede Ethereum. A quantia de BTC que você deseja transferir fica bloqueada em um contrato inteligente e uma quantidade equivalente de tokens é emitida na rede blockchain de destino. Um wrapped token é uma versão tokenizada de outra criptomoeda. Ele está atrelado ao valor do ativo que representa e normalmente pode ser trocado por esse ativo (unwrapped token) a qualquer momento.

Do ponto de vista do usuário, esse processo requer algumas etapas. Para usar a Binance Bridge, por exemplo, primeiro você deve selecionar a blockchain de origem e especificar a quantia. Então, você depositará a quantia correspondente de criptomoedas em um endereço gerado pela Binance Bridge. Depois que as criptomoedas forem enviadas para o endereço (dentro do prazo definido), a Binance Bridge lhe enviará uma quantia equivalente de wrapped tokens na outra blockchain. Caso queira converter seus fundos de volta, basta fazer o processo inverso.

 

Quais são os tipos de blockchain bridges? 

As blockchain bridges podem ser categorizadas de acordo com suas funções, mecanismos e níveis de centralização. 

Bridges custodiais vs. não custodiais

Uma categorização comum é dividir as blockchain bridges em dois tipos: custodial (centralizada) e não custodial (descentralizada). 

As bridges custodiais exigem que os usuários confiem em uma entidade central para operar o sistema de forma adequada e segura. É fundamental que os usuários façam pesquisas para verificar a confiabilidade das entidades que oferecem serviços de bridging. 

As bridges não custodiais operam de maneira descentralizada, contando com contratos inteligentes para gerenciar os processos de bloqueio e emissão de criptomoedas, eliminando a necessidade de confiar em um operador ou entidade central. Nesse caso, a segurança do sistema depende da qualidade e confiabilidade do código subjacente.

Blockchain bridges - Classificação por funções

Outro tipo de classificação se baseia nas funções de cada blockchain bridge. Alguns exemplos incluem bridges de ativos wrapped e bridges de sidechains.

As bridges de ativos wrapped oferecem interoperabilidade entre criptomoedas. Por exemplo, a transferência de Bitcoins para a rede Ethereum através do processo de wrapping de BTC para Wrapped BTC (WBTC), um token ERC-20 compatível com a rede Ethereum. As bridges sidechain conectam a blockchain "mãe" à sua sidechain "filha", permitindo a interoperabilidade entre as duas. Elas são necessárias pois a blockchain principal e sua sidechain podem ter mecanismos de consenso diferentes. Um exemplo é a xDai Bridge, que conecta a rede principal da Ethereum à Gnosis Chain (antiga blockchain xDai), uma sidechain de pagamento baseada na Ethereum. O sistema da xDai é protegido por um conjunto de validadores diferentes dos que mantêm a rede Ethereum. A xDai Bridge permite a fácil transferência de valores entre as duas blockchains.

Blockchain bridges - Classificação por mecanismos 

Existem one-way bridges (unidirecionais) e two-way bridges (bidirecionais). Com uma bridge unidirecional, os usuários só podem transferir ativos para uma blockchain de destino. Ou seja, não é possível fazer o processo inverso, retornando o ativo para sua blockchain nativa. Bridges bidirecionais permitem a transferência de ativos em ambas as direções. 

 

Benefícios das blockchain bridges

O benefício mais importante das blockchain bridges é a capacidade de melhorar a interoperabilidade. 
Elas permitem a troca de tokens, ativos e dados entre diferentes blockchains, seja entre protocolos de layer-1 e layer-2 ou entre várias sidechains. Por exemplo, o WBTC permite que os usuários de Bitcoin explorem os aplicativos descentralizados (DApps) e os serviços DeFi do ecossistema da Ethereum. A tecnologia blockchain com alto grau de interoperabilidade é fundamental para o sucesso futuro do setor.

Outro benefício proporcionado pelas blockchain bridges é o aumento da escalabilidade. Algumas bridges têm capacidade para lidar com um grande número de transações, o que melhora a eficiência de modo geral. Por exemplo, a Ethereum-Polygon Bridge é uma bridge bidirecional descentralizada, que funciona como uma solução de escalabilidade para a rede Ethereum. Sendo assim, os usuários podem se beneficiar de transações mais rápidas e com menos custos de transação.

 

Riscos associados às blockchain bridges

As blockchain bridges têm algumas limitações. Houve casos em que hackers conseguiram explorar as vulnerabilidades dos contratos inteligentes de algumas bridges. Foram roubadas grandes quantias de criptomoedas de cross-chain bridges. 

Bridges custodiais podem expor os usuários a riscos de custódia. A entidade centralizada responsável pela bridge pode, teoricamente, roubar os fundos dos usuários. Ao usar serviços de bridges custodiais, escolha marcas e empresas com boa reputação e com mais tempo de atuação. 

Os gargalos nas taxas de transação são outra potencial limitação. Um gargalo na capacidade de transferência de uma única blockchain pode prejudicar a interoperabilidade blockchain em larga escala. 

Embora uma bridge possa aliviar o congestionamento em uma rede movimentada, a transferência de ativos para outra blockchain não resolve o problema de escalabilidade, pois os usuários nem sempre terão acesso ao mesmo conjunto de DApps e serviços. Por exemplo, alguns DApps da Ethereum não estão disponíveis na Polygon Bridge, o que limita sua eficácia em termos de escalabilidade. 

Além disso, blockchain bridges podem expor os protocolos subjacentes a riscos relacionados à disparidade de confiança. Como as bridges conectam diferentes blockchains, a segurança geral das redes interconectadas pode ser prejudicada pela rede com o menor nível de segurança entre elas. 

 

Qual é o futuro das blockchain bridges? 

A internet é um sistema revolucionário. Em parte, por causa do seu alto grau de interoperabilidade. As blockchain bridges são essenciais para melhorar a interoperabilidade e a adoção em massa da indústria blockchain. Elas possibilitaram algumas inovações fundamentais, permitindo a transferência de ativos entre muitos protocolos de blockchain. As blockchain bridges cresceram muito em termos de serviços de bridging, usuários e volume total de transações.  

Com a evolução da Internet em direção à Web3, é provável que a demanda por blockchain bridges continue crescendo. Inovações futuras podem fornecer maior escalabilidade e eficiência aos usuários e desenvolvedores. É possível que surjam soluções inovadoras para lidar com os riscos de segurança associados às bridges. Elas são essenciais para a construção de um espaço blockchain interoperável, aberto e descentralizado. 


Considerações finais

O desenvolvimento da indústria blockchain é impulsionado por constantes inovações. Temos os protocolos pioneiros, como as redes Bitcoin e Ethereum, seguidos por uma infinidade de blockchains alternativas de Layer-1 e Layer-2. O número de criptomoedas e tokens cresceu exponencialmente. 

Com tantas regras e tecnologias independentes, a interoperabilidade oferecida pelas blockchain bridges é necessária. Um ecossistema blockchain conectado por bridges é mais coeso e interoperável, abrindo oportunidades para maior escalabilidade e eficiência. Com vários ataques em cross-chain bridges, a busca por um projeto de bridging mais seguro e robusto continua.