Guia Sobre MakerDAO e DAI
Guia Sobre MakerDAO e DAI
InícioArtigos

Guia Sobre MakerDAO e DAI

Intermediário
2w ago
6m

TL;DR

Stablecoins são ótimas, não é mesmo? É bom saber que você pode armazenar tokens sem o risco de uma queda brusca de preço durante a noite. Normalmente, isso é possível porque um indivíduo ou organização garante a possibilidade de troca de cada token que você possui por um valor fixo em dólares. Por exemplo, você dá dez dólares a eles e recebe dez tokens. Mais tarde, você pode devolvê-los e receber seu dinheiro de volta.

Basicamente, é uma moeda fiduciária que foi transferida para uma blockchain. Se quiséssemos ter esse mesmo sistema sem precisar confiar em um intermediário, poderíamos usar o DAI. Você mesmo pode emitir alguns ao bloquear suas próprias criptomoedas em um contrato inteligente. Para recuperá-las, basta devolver o DAI juntamente com o valor de juros. Claro, se não quiser se preocupar com o processo de emissão, você pode simplesmente comprar DAI em um mercado da Binance, como o USDT/DAI.

Quer saber mais? Prossiga com a leitura.


Introdução

As Stablecoins surgiram como uma espécie de meio termo entre o mercado financeiro tradicional e o crescente mercado de ativos digitais. Ao imitar o valor da moeda fiduciária enquanto operavam como criptomoedas, esses tokens com base na tecnologia blockchain foram opções atraentes para os traders como uma forma de “travar” seus lucros.

Até o momento, os tipos mais populares de stablecoins são as atreladas a moedas fiduciárias (fiat-backed). Normalmente, elas são atreladas ao dólar americano (USD) – o valor da stablecoin permanece estável pois existe um grande cofre (em algum lugar) com pilhas de cédulas (dólares), contabilizando 1 dólar para cada token emitido. Em outras palavras, cada token vale 1 dólar e é possível trocá-los por dinheiro a qualquer momento. Algumas das stablecoins mais conhecidas são USDT, USDC, BUSD e PAX.

Neste artigo, veremos um protocolo chamado Maker (ou MakerDAO). Este inovador sistema de stablecoin concentra-se no que chamamos de "crypto-collateralization" (cripto-colateralização). Ele elimina a necessidade do cofre que acabamos de mencionar.


O que é MakerDAO?

Maker é um sistema com base na Ethereum que permite aos usuários emitir/criar DAI, um token cujo preço acompanha de perto o valor do dólar americano. Nenhuma organização está no comando. Em vez disso, os participantes mantêm o token de governança (MKR), que lhes concede direito de voto em relação as alterações do protocolo. É daí que vem o nome DAO (Dcentralized Autonomous Organization) – o protocolo é efetivamente governado por uma rede distribuída de stakeholders que possuem tokens MKR.
Nesse ecossistema descentralizado, os contratos inteligentes e a teoria dos jogos permitem que o token DAI mantenha um valor relativamente estável. Além disso, eles são funcionalmente idênticos aos tokens fiat-backed (atrelados a moedas fiduciárias). Você pode enviá-los a quem quiser e usá-los para comprar bens e serviços ou ainda investi-los em yield farming.


Por que o DAI é “crypto-collateralized”?

Ao fornecer colateral (garantia), você bloqueia algo de valor em troca de um empréstimo. Quando você reembolsar o valor do empréstimo (juntamente com uma taxa), você receberá seu "item" bloqueado de volta. Considere uma loja de penhores, onde você pode entregar suas joias (colateral) em troca de dinheiro. Você tem um período em que é possível comprar de volta as joias, devolvendo o dinheiro e um valor extra.

Caso você não devolva o dinheiro, a casa de penhores pode simplesmente vender suas joias para recuperar o prejuízo. Ou seja, o colateral (garantia) dá a eles uma segurança. O mesmo princípio pode ser observado em bancos – você pode optar por usar um carro ou uma casa como garantia em troca de um empréstimo, por exemplo.

Da mesma forma, uma stablecoin atrelada por dinheiro fiduciário é garantida por moeda fiduciária específica. Um usuário entrega seu dinheiro (colateral) e recebe tokens em troca. Se quiser, ele pode devolver esses tokens ao emissor. Caso não queira, o emissor continua com o dinheiro.

Uma stablecoin "crypto-collateralized" – como o token DAI – tem um funcionamento semelhante, porém você usa criptoativos como garantia e o emissor é apenas um contrato inteligente. Basicamente, o contrato diz algo como: emitir X quantidade de tokens para cada Y de ETH depositado. Retornar a quantidade Z de ETH quando os tokens forem resgatados.

No caso do Maker, há uma complexidade um pouco maior – vamos dar uma olhada.


Supercolateralização e Posição de Dívida Colateralizada (CDPs - Collateralized Debt Position)

Você provavelmente já percebeu que os mercados de criptomoedas são bastante voláteis. Costumamos ver o preço do BTC, ETH e de outras criptomoedas mudar muito rapidamente. Seus holdings (patrimônio) podem valer US$ 4.000 quando você for dormir e US$ 3.000 quando acordar no dia seguinte. Para um credor, isso é muito arriscado. Com joias e ouro, é possível esperar até que seu valor permaneça relativamente estável. Caso você não pague o empréstimo, o credor pode simplesmente vender suas joias e recuperar o dinheiro.

Se você fizer um empréstimo de US$ 400 (bloqueando 1 ETH no valor de US$ 400 como garantia) e o preço do ETH cair para US$ 300, seria um mau negócio para o credor. Ele poderia pedir que você bloqueasse mais ETH como garantia ou poderia liquidar o ETH e aceitar a perda de US$ 100.

É por isso que o Maker usa o conceito de supercolateralização. É uma palavra grande, mas a ideia é simples: quando o mutuário (aquele que recebe o valor ou bem em um empréstimo) deseja emitir o stablecoin DAI, ele fornece um valor maior de garantia do que o valor que deseja resgatar posteriormente. Dessa forma, mesmo que o preço caia, a posição ainda deverá estar coberta pela garantia.

Na prática, os usuários bloqueiam seu Ether (ou outros ativos aceitos) através da chamada "Collateralized Debt Position (CDP)" - em português, posição de dívida colateralizada. No momento de confecção deste artigo, o usuário deve fornecer uma garantia de pelo menos 150% sobre o valor do empréstimo de DAI que ele solicitou. Em outras palavras, se você quisesse emitir 400 DAI (lembre-se, cada um vale US$ 1), você precisaria fornecer 1,5x esse valor como garantia – neste caso, US$ 600 em ETH.

O mutuário pode optar por adicionar um valor ainda maior de garantia, se quiser. Na verdade, é isso que a maioria dos usuários faz para ter mais segurança. No entanto, se o valor da garantia cair para abaixo dos 150%, eles terão de arcar com uma pesada taxa de penalidade. Eventualmente, o usuário corre o risco de liquidação total caso não seja capaz de reembolsar o valor dos DAI com juros (essa taxa é chamada de Stability Fee ou Taxa de Estabilidade).


Como o valor do DAI mantém a estabilidade?

1 DAI = 1 USD (aproximadamente). Mas por quê?

Tudo acaba se resumindo aos incentivos e contratos inteligentes. Quando o DAI cai abaixo do Peg Price (preço atrelado/fixo), o sistema faz com que seja interessante para os usuários fecharem suas posições CDPs e pagar suas dívidas – especialmente porque as taxas de juros aumentam. Isso reduz o fornecimento total de DAI, pois o valor reembolsado é destruído. Se o preço ultrapassar um dólar, ocorre o oposto: os usuários são incentivados a abrir CDPs à medida que as taxas de juros são reduzidas. Isso cria novos tokens DAI e aumenta o fornecimento total.



Casos de uso do DAI

Conforme mencionado anteriormente, você pode usar o DAI como qualquer outra stablecoin – negociá-lo com outras criptomoedas, usá-lo para pagamentos ou até mesmo queimá-los por diversão. Se essa "coisa de CDP" não lhe parece interessante, não se preocupe. Como outras criptomoedas, o DAI pode ser facilmente comprado em uma exchange cripto como a Binance.
O MakerDAO foi sem dúvida um dos primeiros protocolos de Finanças Descentralizadas (ou DeFi). Afinal, o DAI é uma stablecoin descentralizada e o DeFi trata da construção de um "sistema financeiro com a tecnologia blockchain". O DeFi não vai muito além disso.
Há uma lista crescente de produtos e serviços que aceitam DAI. Você já deve ter visto alguns aplicativos descentralizados voltados para o DeFi que aceitam DAI. Alguns exemplos incluem PoolTogether e SushiSwap, bem como uma grande variedade de sistemas de yield farming.


Considerações finais

Como a principal stablecoin crypto-collateralized, o DAI provou ser um experimento bem-sucedido na criação de um token que acompanha de perto o preço do dólar americano. O sistema mitiga a volatilidade observada nas moedas digitais tradicionais (todas sem colateralização fiduciária!), O projeto do DAI foi capaz de se afastar do sistema financeiro tradicional em direção a um novo sistema financeiro digital nativo.

Ainda tem dúvidas sobre a MKR, DAI ou stablecoins? Acesse a plataforma Ask Academy, onde a comunidade Binance responde as suas perguntas.