O que é Solana (SOL)?
Índice
Introdução
Como a Solana funciona?
O que é Proof of History?
Principais características da Solana
O que é o token SOL?
Como armazenar SOL?
Considerações finais
O que é Solana (SOL)?
InícioArtigos
O que é Solana (SOL)?

O que é Solana (SOL)?

Intermediário
Published May 27, 2021Updated Aug 30, 2021
5m

TL;DR

Solana é uma rede blockchain focada em transações rápidas e alto rendimento. Ela usa um método exclusivo para ordenar transações e aprimorar a velocidade da rede. Os usuários podem pagar suas taxas de transação e interagir com contratos inteligentes usando SOL, a criptomoeda nativa da rede.

Introdução

Quando se trata de tecnologia blockchain, a escalabilidade é um dos maiores desafios. À medida que as redes crescem, elas costumam enfrentar limitações em termos de velocidade de transação e tempo de confirmação. A Solana pretende combater essas limitações sem comprometer a segurança ou a descentralização.

Fundada em 2017, por Anatoly Yakovenko da Solana Labs, a blockchain Solana adota um novo método de verificação de transações. Os sistemas do Bitcoin, da Ethereum e de muitos outros projetos, sofrem com problemas de escalabilidade e velocidade. Usando um método conhecido como Proof of History (PoH), a blockchain Solana é capaz de lidar com milhares de transações por segundo.


Como a Solana funciona?

Solana é uma blockchain Proof of Stake de terceira geração. Ela implementou uma maneira única de criar um sistema trustless, chamado de Proof of History, capaz de registrar o momento de conclusão de uma transação.
O rastreamento da ordem das transações é extremamente importante para as criptomoedas. O Bitcoin faz isso agrupando transações em blocos com um único timestamp (registro de data/hora). Cada node (nó) precisa validar esses blocos, em consenso com outros nodes. Esse processo aumenta significativamente o tempo de espera necessário para que os nodes confirmem um bloco na rede. A Solana, por outro lado, tem uma abordagem diferente. Vamos conferir mais detalhes.

O que é Proof of History?

Os eventos e transações da Solana são todos submetidos ao hashing que usa a função de hash SHA256. Essa função recebe um input (entrada) e produz um output (saída) único e extremamente difícil de se prever. A Solana pega o output de uma transação e usa como input para o próximo hash. A ordem das transações agora está embutida no output que passou pela função de hash.

O processo de hashing cria uma longa e ininterrupta cadeia de transações "hashed", ou seja, que foram submetidas à função de hash. Esse recurso cria uma ordem de transações verificável e bem definida. Então, um validador a adiciona a um bloco, sem a necessidade de um timestamp convencional. O processo de hashing também requer um certo tempo para ser concluído, ou seja, os validadores podem verificar facilmente quanto tempo se passou.

O Proof of History é diferente do processo que o Bitcoin usa como parte do seu mecanismo de consenso Proof of Work. Os blocos do Bitcoin são grandes grupos de transações não ordenadas. Cada minerador de BTC adiciona a data e a hora ao bloco minerado, de acordo com seu horário local. A hora registrada pode ser diferente de acordo com outros nodes (nós) ou até mesmo ser falsa. Os nodes devem verificar se o timestamp é válido.

Ao ordenar as transações em uma cadeia de hashes, os validadores processam e transmitem menos informações em cada bloco. Usar uma versão "hashed" do estado mais recente das transações reduz bastante o tempo de confirmação de um novo bloco.

É importante entender que o Proof of History não é um mecanismo de consenso. Na realidade, é uma forma de diminuir o tempo gasto na confirmação da ordem das transações. Quando usado em conjunto com o Proof of Stake, a seleção do próximo validador para um bloco fica muito mais fácil. Os nodes precisam de menos tempo para validar a ordem das transações, ou seja, a rede é capaz de escolher um novo validador mais rapidamente.


Principais características da Solana

De acordo com o blog da Solana, a equipe desenvolveu oito recursos técnicos principais para que a blockchain ofereça as capacidades de um sistema centralizado. O Proof of History talvez seja o mais notável deles. Outros recursos são:
  • Tower BFT — versão PoH otimizada do Practical Byzantine Fault Tolerance
  • Turbine — protocolo para propagação de blocos

  • Gulf Stream — protocolo de encaminhamento de transações sem Mempool

  • Sealevel — tempo de execução de contratos inteligentes em paralelo

  • Pipelining — unidade de processamento de transações para otimização da validação

  • Cloudbreak — banco de dados com escalabilidade horizontal

  • Archivers — armazenamento do ledger distribuído

Esses recursos criam uma rede de alto desempenho com tempos de bloco de 400 ms, capaz de processar milhares de transações por segundo. Para se ter uma ideia, o tempo de bloco do Bitcoin é de cerca de 10 minutos e o da Ethereum, cerca de 15 segundos.
Os holders de SOL podem fazer staking de seus tokens como parte do mecanismo de consenso PoS da blockchain. Com uma carteira de criptomoedas compatível, você pode fazer staking de seus tokens com os validadores que processam as transações da rede. Os validadores então compartilham parte de suas recompensas com os usuários que fizeram staking. Este mecanismo de recompensas incentiva validadores e delegados a agirem de forma benéfica para a rede. Até maio de 2021, no momento de confecção deste artigo, a Solana possui cerca de 900 validadores, o que a torna uma rede bastante descentralizada.

O que é o token SOL?

A criptomoeda nativa da Solana é o SOL, que funciona como um token de utilidade. Os usuários precisam de SOL para pagar taxas de transação ao fazer transferências e interagir com contratos inteligentes. A rede efetua queimas de SOL como parte de seu modelo deflacionário. Os holders de SOL também podem se tornar validadores da rede. Como a Ethereum, a Solana permite que os desenvolvedores construam contratos inteligentes e criem projetos baseados na blockchain.

O token SOL usa o protocolo SPL. SPL é o padrão de token da blockchain Solana, semelhante ao ERC20 na Ethereum. O SOL tem dois principais casos de uso:

  1. Pagamento de taxas de transação ao usar a rede ou contratos inteligentes.

  2. Staking de tokens como parte do mecanismo de consenso Proof of Stake.

Os DApps desenvolvidos na Solana também estão criando novos casos de uso para o token SOL. Por exemplo, a Chainvote está desenvolvendo um aplicativo de votação DeFi (finanças descentralizadas) para governança corporativa, onde tokens SOL serão usados para votação. O preço da Solana obteve um aumento de quase 30 vezes nos primeiros dois trimestres de 2021, tornando-a uma escolha muito popular entre investidores e especuladores.


Como armazenar SOL?

Você pode armazenar tokens SOL na carteira de criptomoedas sollet.io (desenvolvida pela Serum Academy), na Trust Wallet para dispositivos móveis e em outras carteira com suporte para o padrão SPL. Se deseja fazer staking dos seus tokens SOL, você precisa de uma carteira com suporte para staking. Você pode usar a carteira SolFlare ou usar as ferramentas de comandos da Solana. Usando sua carteira você poderá criar uma conta de staking e delegar seus tokens SOL a um validador.

Considerações finais

Como um projeto relativamente novo, a Solana foi capaz de fornecer os benefícios prometidos em termos de velocidade e escalabilidade. O preço do token também teve um bom desempenho, despertando o interesse dos investidores. No entanto, a adoção e o uso da rede ainda estão nos estágios iniciais.

Enquanto não houver um tráfego intenso na rede e mais casos de uso da Solana, não saberemos se a velocidade oferecida poderá, de fato, fazer uma grande diferença no mundo das criptomoedas. Ter uma rede rápida é ótimo, mas os benefícios só são significativos quando mais pessoas começam a usá-la e surgem mais casos de uso.