A Evolução da Internet - Web 3.0
HomeArticles

A Evolução da Internet - Web 3.0

Iniciante
4d ago
5m

Conteúdo


O que é Web 3.0?

A Internet passou por mudanças drásticas desde o início. Do Internet Relay Chat (IRC) às mídias sociais modernas, tornou-se parte vital das interações humanas - e continua evoluindo.

A Web 3.0 é a próxima geração de tecnologia da Internet que depende muito do uso de aprendizado de máquina e inteligência artificial (IA). Seu objetivo é criar sites e aplicativos da Web mais abertos, conectados e inteligentes, orientados ao uso de uma compreensão automatizada dos dados.

Através do uso de IA e técnicas avançadas de aprendizado de máquina, a Web 3.0 visa fornecer informações mais personalizadas e relevantes de forma mais rápida. Isso pode ser alcançado através do uso de algoritmos de pesquisa mais inteligentes e desenvolvimento da análise de Big Data. 

Normalmente, os sites atuais têm informações estáticas ou conteúdos direcionados ao usuário, como fóruns e mídias sociais. Embora isso permita que as informações sejam publicadas para um amplo grupo de pessoas, elas podem não atender às necessidades de um usuário específico. Um site deve ser capaz de adaptar as informações que fornece a cada usuário individual, semelhante ao dinamismo da comunicação humana no mundo real.

O cientista da computação Tim Berners-Lee, inventor da World Wide Web, explicou essa ideia de Web Semântica em 1999:

Eu sonho com a Web [na qual os computadores] sejam capazes de analisar todos os dados presentes na rede – o conteúdo, links e transações entre pessoas e computadores. Ainda não surgiu uma "Web Semântica" que torna isso possível, porém, quando isso acontecer, os mecanismos diários de negócios, os processos burocráticos e diversos fatores da nossa vida cotidiana serão tratados por máquinas que se comunicam com outras máquinas.

Na Web 3.0, um oceano de informações estará disponível para sites e aplicativos e eles serão capazes de entender e usar esses dados de maneira específica e significativa para o usuário individual.


Uma breve história da evolução da Internet

Sites e aplicativos da Web mudaram drasticamente nas últimas décadas. Eles evoluíram de sites estáticos para sites orientados por dados com os quais os usuários podem interagir e fazer alterações.

Web 1.0

A Internet original era baseada no que agora é conhecido como Web 1.0. O termo foi criado em 1999 pelo autor e web designer Darci DiNucci, ao estabelecer uma distinção entre Web 1.0 e Web 2.0. No início dos anos 90, os sites foram construídos usando páginas HTML estáticas que só tinham a capacidade de exibir informações – não era possível a alteração de dados por usuários.

Web 2.0

Tudo mudou no final dos anos 90, quando a mudança para uma Internet mais interativa começou a tomar forma. Com a Web 2.0, os usuários puderam interagir com sites por meio de bancos de dados, processamentos no servidor (server-side processing), formulários e redes sociais. 

Isso trouxe uma mudança de uma Web estática para uma mais dinâmica. A Web 2.0 deu maior importância a conteúdos gerados pelo usuário e a interoperabilidade entre diferentes sites e aplicativos. A Web 2.0 era menos sobre observação e mais sobre participação. Em meados da década de 2000, a maioria dos sites fez a transição para a Web 2.0.

O futuro

Ao olhar para a história da Internet, a evolução de uma web semanticamente inteligente faz todo sentido. Inicialmente, os dados foram apresentados de forma estática aos usuários. Em seguida, os usuários puderam interagir com esses dados de maneira dinâmica. Agora, todos esses dados serão usados por algoritmos para melhorar a experiência do usuário e tornar a Web mais personalizada e familiar para cada um.

Embora ainda não esteja totalmente desenvolvida, a Web 3.0 poderia aproveitar de tecnologias peer-to-peer (P2P) como a de blockchains, softwares de código aberto, realidade virtual, Internet of Things (IoT) e muitas outras.

Atualmente, muitos aplicativos estão limitados para execução em apenas um sistema operacional. A Web 3.0 pode permitir que os aplicativos sejam mais independentes de dispositivos, o que significa que eles poderiam ser executados em muitos tipos diferentes de hardware e software, sem custos adicionais de desenvolvimento.

A Web 3.0 também visa tornar a Internet mais aberta e descentralizada. Na estrutura atual, os usuários dependem de provedores de rede ou empresas de celular, que possuem acesso a todas as informações que passam por seus sistemas. Com o advento das tecnologias de registros distribuídos (distributed ledger), isso pode mudar e os usuários podem retomar a propriedade total de seus dados.


O que torna a Web 3.0 superior às suas antecessoras?

  • Nenhum ponto central de controle: Como os intermediários são removidos da equação, os dados do usuário não serão mais controlados por eles. Isso reduz o risco de censura por governos ou empresas e reduz a eficácia de ataques Denial-of-Service (DoS).
  • Maior interconectividade das informações: À medida que mais produtos são conectados à Internet, maiores conjuntos de dados fornecem aos algoritmos informações para análise. Isso pode ajudá-los a fornecer informações mais precisas que atendem às necessidades específicas de cada usuário.
  • Navegação mais eficiente: Ao usar mecanismos de busca, encontrar o melhor resultado costumava ser algo muito difícil. No entanto, ao longo dos anos, essas ferramentas se tornaram mais eficientes para encontrar resultados semanticamente relevantes com base no contexto e nos metadados da pesquisa. Isso resulta em uma experiência de navegação na Web mais conveniente que pode ajudar qualquer pessoa a encontrar as informações exatas de que precisa com relativa facilidade.
    A Web 2.0 também introduziu sistemas de marcação social (tagging), mas esses podem ser manipulados. Com algoritmos mais inteligentes, os resultados manipulados podem ser filtrados por IA.
  • Aprimoramentos em publicidade e marketing: Ninguém gosta de ser bombardeado com anúncios online. No entanto, se os anúncios forem relevantes para os interesses e necessidades do usuário, eles podem deixar de ser um aborrecimento e ter alguma utilidade. A Web 3.0 visa melhorar as ferramentas de publicidade, aprimorando sistemas de inteligência artificial e visando públicos-alvo específicos com base nos dados do consumidor.
  • Melhor suporte ao cliente: Quando se trata de sites e aplicativos da web, o atendimento ao cliente é essencial para uma experiência de usuário mais fluida. No entanto, devido aos altos custos, muitos serviços que se tornam bem sucedidos da Web, não conseguem dimensionar suas operações de atendimento ao cliente de maneira adequada. Através do uso de chatbots (robôs de chat) mais inteligentes, capazes de conversar com vários clientes simultaneamente, os usuários podem desfrutar de uma experiência superior ao lidar com serviços de atendimento e suporte.


Considerações finais

A evolução da Internet tem sido uma longa jornada e certamente continuará avançando em direção a novas iterações.

Com a explosão maciça de dados disponíveis, os sites e aplicativos poderão realizar a transição para uma web que fornece uma experiência consideravelmente melhor para um número crescente de usuários em todo o mundo.

Embora ainda não exista uma definição concreta para a Web 3.0, ela já foi acionada por inovações em outros campos da tecnologia.