As 7 Principais Tecnologias que Impulsionam o Metaverso
Índice
Introdução
O que é metaverso?
Últimas atualizações do desenvolvimento do metaverso
Principais tecnologias que impulsionam o metaverso
Blockchain e criptomoedas
Realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR)
Inteligência Artificial (AI)
Construção 3D
Internet das Coisas (IoT)
Desafios do Metaverso
Considerações finais
As 7 Principais Tecnologias que Impulsionam o Metaverso
InícioArtigos
As 7 Principais Tecnologias que Impulsionam o Metaverso

As 7 Principais Tecnologias que Impulsionam o Metaverso

Iniciante
Published Dec 22, 2021Updated Jan 14, 2022
8m

TL;DR

O metaverso é um conceito de mundo digital 3D. Consiste em espaços virtuais que você pode explorar usando um avatar criado por você. No metaverso, você pode jogar, fazer compras, encontrar os amigos em uma cafeteria virtual, trabalhar com seus colegas em um escritório virtual e muito mais. Alguns videogames e ferramentas de socialização do trabalho já implementaram certos elementos do metaverso em seus ecossistemas.

Projetos de criptomoedas como o Decentraland e The Sandbox já têm seu próprio mundo digital funcionando. No entanto, o conceito de metaverso é relativamente novo, por isso a maioria das suas funcionalidades ainda está em desenvolvimento. Empresas como o Facebook (agora Meta), Microsoft e Nvidia também já começaram a trabalhar em suas versões do metaverso.

Para oferecer uma experiência virtual imersiva no metaverso, as empresas estão incorporando tecnologias de ponta, impulsionando o desenvolvimento do mundo 3D. Essas tecnologias incluem blockchain, realidade aumentada (AR), realidade virtual (VR), construção 3D, inteligência artificial (AI) e Internet das Coisas (IoT).


Introdução

A ideia de metaverso foi introduzida pelo escritor Neal Stephenson em 1992. Seu romance de ficção científica, Snow Crash, descreveu um mundo online onde as pessoas usavam avatares digitais para explorar e escapar do mundo real. Décadas depois, grandes empresas de tecnologia começaram a desenvolver suas próprias versões de metaverso futurístico. O que é metaverso e como as grandes empresas abordam o conceito no setor de tecnologia?


O que é metaverso?

O metaverso é um conceito de mundo digital 3D online com terrenos e objetos virtuais. Imagine um mundo no qual você possa trabalhar remotamente, visitar museus virtuais para ver obras de arte ou ainda se juntar a outros fãs de bandas de rock em um show virtual, tudo no conforto da sua casa.

Os jogos Axie Infinity, The Sandbox e Decentraland já implementaram alguns aspectos do metaverso e oferecem diversos elementos de nossas vidas em ambientes online. No entanto, o metaverso ainda está em desenvolvimento. Ainda não se sabe se haverá apenas um grande metaverso ou vários metaversos pelos quais poderemos viajar. 

À medida que o conceito se desenvolve, a expectativa é que as suas funcionalidades não se limitem apenas a videogames e plataformas de redes sociais. Trabalho remoto, governança descentralizada e identidade digital são apenas alguns dos recursos que o metaverso pode oferecer. O metaverso também pode se tornar mais multidimensional com o uso de ferramentas como headsets (fones) e óculos VR conectados, permitindo que os usuários caminhem fisicamente e explorem os espaços 3D.


Últimas atualizações do desenvolvimento do metaverso

Com a alteração do nome do Facebook para Meta em outubro de 2021, o metaverso se tornou a nova tendência do momento. Para atender ao rebranding, em 2021, o gigante das mídias sociais investiu pelo menos 10 bilhões de dólares em uma nova divisão chamada Reality Labs. A ideia é desenvolver o conteúdo do metaverso, softwares e headsets de AR e VR. O CEO, Mark Zuckerberg, acredita que os headsets (AR e VR) serão tão difundidos quanto smartphones no futuro.

A pandemia da COVID-19 também contribuiu para o aumento do interesse no desenvolvimento de metaversos. À medida que mais pessoas começam a trabalhar remotamente, cresce a demanda por formas mais interativas de conexão entre as pessoas. Surgem cada vez mais ferramentas e espaços virtuais 3D que permitem que colegas de trabalho participem de reuniões e façam trabalhos cooperativos online. O Microsoft Mesh lançado em novembro de 2021 é um exemplo. Ele oferece espaços imersivos para os usuários se encontrarem usando seus avatares, tornando as reuniões remotas mais envolventes e divertidas.

Alguns jogos online também estão adotando o conceito de metaverso. O jogo de realidade aumentada (AR), Pokémon Go, foi um dos primeiros a explorar o conceito, permitindo aos jogadores caçar Pokémons virtuais no mundo real usando um aplicativo de smartphone. O Fortnite, outro jogo popular, expandiu sua proposta com diferentes atividades no mundo digital, incluindo shows e eventos de diferentes marcas. 

Além das mídias sociais e plataformas de jogos, empresas de tecnologia como a Nvidia já trabalham em novas oportunidades em mundos virtuais. A Nvidia Omniverse é uma plataforma aberta projetada para conectar espaços 3D em um universo compartilhado, facilitando a colaboração virtual entre engenheiros, designers e criadores. A plataforma está sendo usada em diferentes setores. O BMW Group, por exemplo, está usando o Omniverse para reduzir o tempo de produção e melhorar a qualidade dos produtos através da manufatura inteligente.


Principais tecnologias que impulsionam o metaverso

Para tornar a experiência do metaverso mais imersiva e desenvolver o mundo 3D, as empresas estão usando tecnologias de ponta como blockchain, realidade aumentada (AR), realidade virtual (VR), construção 3D, inteligência artificial (AI) e Internet das Coisas (IoT).


Blockchain e criptomoedas

A tecnologia Blockchain fornece uma solução descentralizada e transparente para comprovação digital de propriedade, cobrança digital, transferência de valores, governança, acessibilidade e interoperabilidade. As criptomoedas permitem que os usuários transfiram valor enquanto trabalham e socializam no mundo digital 3D. 
Por exemplo, é possível comprar terrenos virtuais no Decentraland usando criptomoedas. Os jogadores podem comprar terrenos de 16x16 metros na forma de tokens não fungíveis (NFTs) usando a criptomoeda do jogo, MANA. A tecnologia blockchain permite a definição dos termos de propriedade dessas terras virtuais de forma segura.

No futuro, o setor cripto pode incentivar as pessoas a realmente trabalharem no metaverso. À medida que mais empresas usam escritórios online para trabalho remoto, veremos mais ofertas de empregos relacionados ao metaverso.

Para informações mais detalhadas sobre essas áreas, confira o artigo O que é Metaverso?


Realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR)

A realidade aumentada (AR) e a realidade virtual (VR) podem oferecer experiências 3D envolventes e imersivas. Esses são nossos pontos de entrada para o mundo virtual. Mas qual é a diferença entre AR e VR?

A realidade aumentada (AR) usa personagens e elementos visuais digitais para transformar o mundo real. É mais acessível do que a realidade virtual (VR) e pode ser usada em quase qualquer smartphone ou dispositivo digital que tenha uma câmera. Através de aplicativos de AR, os usuários podem visualizar seus arredores com visuais digitais interativos, de forma semelhante ao jogo Pokémon GO, disponível para dispositivos móveis. Através da câmera de seus telefones, eles podem ver os Pokémons do jogo no ambiente do mundo real.

A realidade virtual VR funciona de forma diferente. O conceito é muito parecido com a ideia do metaverso. A realidade virtual produz um ambiente virtual totalmente gerado por computador. Os usuários podem então explorá-lo usando headsets, luvas e sensores de VR.

As tecnologias de AR e VR representam um modelo inicial do metaverso. A VR já está criando um mundo digital que incorpora conteúdo visual fictício. Com o avanço das tecnologias de VR, a experiência do metaverso se tornará mais ampla, envolvendo simulações físicas com equipamentos de VR. Os usuários poderão sentir, ouvir e interagir com pessoas de outras partes do mundo. Considerando o entusiasmo em relação ao metaverso, a expectativa é que mais empresas invistam no desenvolvimento de equipamentos de AR e VR em um futuro próximo.


Inteligência Artificial (AI)

A inteligência artificial (AI) tem sido amplamente aplicada em nossas vidas nos últimos anos: planejamento de estratégia de negócios, tomada de decisões, reconhecimento facial, processos de computação mais rápidos e muito mais. Recentemente, especialistas têm estudado as possibilidades de aplicação de AI para a criação de metaversos imersivos. 

A inteligência artificial tem potencial para processar uma grande quantidade de dados na velocidade da luz. Juntamente com técnicas de aprendizado de máquina (machine learning), os algoritmos de AI podem aprender com as iterações anteriores, considerando dados históricos para gerar outputs e insights exclusivos. 

Dentro do metaverso, a AI pode ser aplicada aos NPCs (personagens que não são jogadores) em diferentes cenários. NPCs (non-player characters) existem em quase todos os jogos; eles fazem parte do ambiente de jogo desenvolvido para reagir e responder às ações dos jogadores. Com as habilidades de processamento da AI, os NPCs são colocados nos espaços 3D para facilitar conversas realistas com os usuários ou realizar outras tarefas específicas. Ao contrário de um usuário humano, um NPC de AI funciona por conta própria e é usado por milhões de jogadores ao mesmo tempo. Um NPC também pode funcionar em vários idiomas diferentes.

Outra aplicação potencial para AI é a criação de avatares no metaverso. Os mecanismos de AI são usados para analisar imagens 2D ou varreduras 3D, gerando avatares que parecem mais realistas e precisos. Para tornar o processo mais dinâmico, a AI também é usada na criação de diferentes expressões faciais, estilos de cabelo, roupas e recursos para aprimorar os humanos digitais que criamos.


Construção 3D

Embora não seja uma tecnologia nova, o uso da construção 3D aumentou durante a pandemia, especialmente no setor imobiliário, já que os lockdowns impediram os compradores de visitar as propriedades pessoalmente. Algumas agências adotaram a tecnologia de construção 3D para criar versões virtuais de propriedades. Muito parecido com o conceito de metaverso, com essa tecnologia, os compradores avaliam imóveis de qualquer lugar e fazem compras sem precisar sair de casa.

Um dos desafios do metaverso é criar um ambiente digital que seja o mais parecido possível com o nosso mundo real. Com a ajuda da construção 3D, é possível criar ambientes realistas e de aparência natural. Com câmeras 3D especiais, podemos criar nosso mundo online renderizando de forma precisa modelos 3D realísticos de edifícios, locais físicos e objetos. Os dados espaciais 3D e fotografias 4K HD são então enviados a computadores para processamento e criação de réplicas virtuais no metaverso. Essas réplicas virtuais de objetos do mundo físico também são chamadas de digital twins (gêmeos digitais).


Internet das Coisas (IoT)

O conceito de Internet of Things (IoT) ou Internet das Coisas foi introduzido em 1999. Basicamente, a IoT é um sistema que pega tudo em nosso mundo físico e os conecta à Internet através de sensores e dispositivos. Depois de se conectar à Internet, esses dispositivos terão um identificador exclusivo e a capacidade de enviar ou receber informações automaticamente. Hoje em dia, a IoT conecta termostatos, alto-falantes ativados por voz, dispositivos médicos e outros aparelhos a uma grande quantidade de dados.

Uma das aplicações da IoT no metaverso é coletar e fornecer dados do mundo físico. Isso aumenta a precisão das representações digitais. Por exemplo, os feeds de dados IoT podem mudar a maneira como certos objetos do metaverso funcionam, com base no clima atual ou em outras condições. 

A implementação da IoT pode conectar perfeitamente o mundo 3D a um grande número de dispositivos da vida real. Isso permite a criação de simulações em tempo real no metaverso. Para otimizar ainda mais o ambiente do metaverso, a IoT também pode usar AI e aprendizado de máquina para gerenciamento dos dados que coleta.


Desafios do Metaverso

O metaverso ainda está em seus estágios iniciais de desenvolvimento. Alguns desafios incluem autenticação de identidade e controle de privacidade. No mundo real, geralmente não é difícil identificar alguém. Mas o uso de avatares no mundo digital deve dificultar o processo de identificação e comprovação de identidade. Usuários mal-intencionados ou até mesmo bots podem entrar no metaverso fingindo ser outra pessoa. Eles podem então usar essa falsa identidade para enganar outros usuários ou prejudicar a reputação do verdadeiro usuário.

O tema privacidade é outro desafio do metaverso. O metaverso depende de dispositivos de AR e VR para oferecer uma experiência imersiva. Tecnologias que usam recursos de câmera e identificadores podem gerar vazamentos indesejados de informações pessoais.


Considerações finais

O metaverso ainda está em desenvolvimento, mas muitas empresas já exploram seu potencial. No setor cripto, Decentraland e The Sandbox são projetos notáveis, mas grandes empresas como Microsoft, Nvidia e Facebook também estão desenvolvendo suas ferramentas de metaverso. À medida que as tecnologias de AR, VR e AI avançarem, veremos novos recursos interessantes nesses mundos virtuais e sem fronteiras.