O que é Avalanche (AVAX)?
Tabela de Conteúdos
Introdução
Quando a Avalanche foi lançada?
Quais os problemas solucionados pela Avalanche?
Como a Avalanche funciona?
Como funcionam os mecanismos de consenso da Avalanche?
Token AVAX
Como fazer staking de AVAX?
Blockchains personalizáveis Avalanche
Qual é a diferença da Avalanche para outras blockchains escalonáveis?
Considerações finais
O que é Avalanche (AVAX)?
Página InicialArtigos
O que é Avalanche (AVAX)?

O que é Avalanche (AVAX)?

Intermediário
Publicado em Sep 9, 2021Atualizado em Jun 22, 2022
7m

TL;DR

A Avalanche busca melhorar a escalabilidade sem comprometer a velocidade e a descentralização. Três blockchains compõem a sua plataforma principal: Exchange Chain (X-Chain), Contract Chain (C-Chain) e Platform Chain (P-Chain). A X-Chain é usada para criar e negociar ativos. A C-Chain é utilizada para a criação de contratos inteligentes. A P-Chain serve para coordenar validadores e as Subnets (sub-redes).

Um dos avanços mais importantes do protocolo é o Avalanche Consensus, um método que usa votação repetida de subamostragem por validadores para tornar o consenso rápido e acessível. A Avalanche também usa sub-redes como um novo método de escalabilidade horizontal, permitindo a criação de blockchains personalizáveis e interoperáveis. Não há limite para o número de sub-redes possíveis.


Introdução

Com os avanços da tecnologia blockchain, ela fornece novas soluções para os velhos problemas de escalabilidade, interoperabilidade e usabilidade. A Avalanche adotou uma abordagem única com o uso de três blockchains separadas em sua plataforma primária. Com o uso de seu token nativo AVAX e múltiplos mecanismos de consenso, a Avalanche afirma ser "a plataforma de contratos inteligentes mais rápida do setor blockchain, em termos de tempo até a finalização". Neste artigo, veremos os fatores relacionados a essa afirmação e quais as soluções que a rede oferece.


Quando a Avalanche foi lançada?

A Avalanche foi lançada em setembro de 2020 pela equipe Ava Labs, sediada em Nova York. A Ava Labs conseguiu quase US$ 300 milhões em sua arrecadação de fundos e a Avalanche Foundation conduziu vendas de tokens públicas e privadas, totalizando US$ 48 milhões. Os três fundadores da Ava Labs são Kevin Sekniqi, Maofan "Ted" Yin e Emin Gün Sirer.


Quais os problemas solucionados pela Avalanche?

Existem três problemas principais que a Avalanche tenta resolver: escalabilidade, taxas de transação e interoperabilidade.

Escalabilidade vs. descentralização

Blockchains tradicionalmente apresentam problemas para equilibrar escalabilidade e descentralização. Uma rede com volume crescente de atividades pode ficar rapidamente obstruída. O Bitcoin (BTC) é um exemplo. Em períodos de congestionamento da rede, as transações às vezes levam horas ou até dias para serem processadas.
Uma forma de combater isso é tornar a rede mais centralizada, dando mais autoridade a um número reduzido de pessoas para validar as atividades da rede, resultando em uma velocidade de processamento maior. No entanto, a descentralização é fundamental para a segurança da blockchain. Novas blockchains tentam resolver esse problema com avanços tecnológicos. A Avalanche criou uma abordagem única, que explicaremos posteriormente.

Taxas altas

Outro problema comum nas grandes blockchains, como a Ethereum, são suas taxas de Gas, que podem ser altas em momentos de muito tráfego. Isso acaba desencorajando o uso dessas blockchains, mas as alternativas disponíveis atualmente não oferecem ecossistemas tão bem desenvolvidos e estabelecidos. A popularidade da Ethereum e a histórica falta de alternativas levaram a alto tráfego e altas taxas. Em alguns casos, transferências simples podem custar mais de US$ 10. Interações mais complexas de contratos inteligentes podem ultrapassar os US$ 100.

Interoperabilidade

Quando se trata de blockchains, diferentes projetos e negócios têm suas necessidades específicas. Anteriormente, os projetos precisavam operar na Ethereum, outra blockchain individual não adaptada às suas necessidades, ou em uma blockchain privada. Encontrar o equilíbrio entre personalização e cooperação entre múltiplas blockchains tem sido um desafio. A Avalanche oferece uma solução com as Subnets (sub-redes) – blockchains personalizadas para aplicações específicas que compartilham a segurança, velocidade e compatibilidade da rede primária.


Como a Avalanche funciona?

A Avalanche usa uma combinação de métodos que a tornam única. Na realidade, ela é composta por três blockchains primárias interoperáveis: X-Chain, C-Chain e P-Chain.

1. A Exchange Chain (X-Chain) é usada para criar e negociar tokens AVAX e outros ativos digitais. As taxas de transação são pagas em AVAX e a blockchain usa o protocolo Avalanche Consensus.
2. A Contract Chain (C-Chain) é usada por desenvolvedores para criação de contratos inteligentes para DApps. Essa blockchain implementa o método da Ethereum Virtual Machine (EVM), permitindo o uso de DApps compatíveis com a EVM. Ela usa uma versão modificada do protocolo Avalanche Consensus, o Snowman.
3. A Platform Chain (P-Chain) coordena validadores da rede, rastreia Subnets ativas e permite a criação de novas Subnets. A P-Chain também usa o Snowman.

Como cada blockchain assume funções diferentes, a Avalanche oferece mais velocidade e escalabilidade em comparação com casos onde há execução de todos os processos em uma única blockchain. Os desenvolvedores da Avalanche adaptaram os mecanismos de consenso às necessidades de cada blockchain. Os usuários precisam de AVAX para fazer staking e pagar taxas de rede, tornando-o um ativo utilizável comum no ecossistema.


Como funcionam os mecanismos de consenso da Avalanche?

Existem semelhanças entre os dois protocolos de consenso da Avalanche. Esse sistema duplo é um dos principais motivos para as melhoras em termos de velocidade de transações e escalabilidade da rede.

Avalanche

O protocolo de consenso Avalanche não precisa que um "líder" chegue a um consenso como ocorre com o Proof of Work (PoW), Proof of Stake (PoS) ou Delegated Proof of Stake (DPoS). Esse fator aumenta a descentralização da rede Avalanche sem sacrificar a escalabilidade. Por outro lado, os métodos PoW, PoS e DPoS têm um único agente processando as transações, cujo trabalho é então validado por outros.
A Avalanche implementa um protocolo de consenso otimizado chamado Directed Acyclic Graph (DAG). O DAG permite que a rede processe transações em paralelo. Os validadores selecionam uma amostra de outros validadores para determinar se uma nova transação é válida. Após algumas repetições dessa subamostragem aleatória, comprova-se estatisticamente que a transação correspondente é válida, assim, impossível de ser falsa.

Todas as transações são finalizadas imediatamente, sem a necessidade de outras confirmações. A execução de um node validador e a validação de transações têm requisitos de hardware baixos e acessíveis, o que oferece mais desempenho, descentralização e sustentabilidade.

Snowman

O protocolo de consenso Snowman se baseia no protocolo Avalanche, mas ordena as transações linearmente. Essa propriedade é benéfica ao lidar com contratos inteligentes. Ao contrário do protocolo de consenso Avalanche, o Snowman cria blocos.


Token AVAX

AVAX é o token nativo da Avalanche com um fornecimento total limitado de 720 milhões. Todas as taxas pagas na rede são queimadas como um mecanismo deflacionário, assim beneficiando à comunidade da Avalanche. O token AVAX tem três principais casos de uso:

1. Você pode fazer staking de AVAX para se tornar um validador ou delegar os tokens a um validador. Os validadores podem ganhar até 10% do Rendimento Percentual Anual (APY) e definir uma taxa percentual sobre a recompensa que eles recebem de seus delegadores parceiros.

2. O AVAX atua como a unidade contábil comum para todas as Subnets, melhorando a interoperabilidade.

3. As taxas de transação e assinaturas da Subnet são pagas em AVAX.


Como fazer staking de AVAX?

Holders de AVAX podem obter recompensas tornando-se validadores ou fazendo staking de tokens com um validador. Para se tornar um validador, é necessário ter 2.000 AVAX em staking.

Os requisitos de hardware são baixos. A maioria dos laptops e desktops devem ser capazes de efetuar a validação. Você também pode fazer staking de tokens através de um validador e receber recompensas quando o validador confirmar transações.


Blockchains personalizáveis Avalanche

A Avalanche oferece uma funcionalidade semelhante à da Ethereum e outras blockchains layer-one. Os desenvolvedores podem criar tokens, NFTs e DApps. Os usuários podem fazer staking de tokens, validar transações e usar mais de 400 DApps. Os benefícios da Avalanche, de acordo com os criadores, vêm das melhorias implementadas nessas ferramentas. Como um recurso extra, a Avalanche também permite a criação de blockchains personalizadas e interoperáveis, chamadas de Subnets.

Uma blockchain personalizada que usa uma Subnet com alta escalabilidade atende muito bem às necessidades de grandes empresas. Muitas já estão desenvolvendo Subnets. Grandes corporações e pequenas operadoras independentes dessas blockchains personalizadas interagem com outras em um rico ecossistema, alavancando a segurança da rede primária da Avalanche. 

A Avalanche tem sua própria Avalanche Virtual Machine (AVM), que é compatível com a EVM. Desenvolvedores familiarizados com a linguagem de codificação Solidity da Ethereum terão facilidade com a Avalanche, e também podem transferir projetos já existentes.


Qual é a diferença da Avalanche para outras blockchains escalonáveis?

Os problemas e soluções que mencionamos não são exclusivos da Avalanche. A Avalanche compete com outras plataformas escalonáveis e blockchains interoperáveis como a Ethereum, a Polkadot, a Polygon e a Solana. Então, o que diferencia a Avalanche das outras?

Mecanismo de consenso

A diferença mais significativa é provavelmente o Avalanche Consensus. No entanto, a Avalanche não é a única blockchain com um mecanismo de consenso original. O método Proof of History da Solana alega poder lidar com até 50.000 TPS (transações por segundo), superando as 6.500 TPS da Avalanche. O TPS, no entanto, é apenas uma métrica para avaliar a velocidade da rede e não considera a finalidade do bloco.

Velocidade de transação e finalização

Outra diferença notória é o tempo de finalização da Avalanche, de menos de 1 segundo. O que isso significa, exatamente? Novamente, o TPS é apenas uma das métricas para medir a velocidade. Também é importante considerar o tempo necessário para garantir que uma transação seja concluída e não possa ser revertida ou alterada. Você pode processar 100.000 transações em um segundo, mas se houver um atraso na finalização, a rede ainda será mais lenta. A Avalanche afirma ter o melhor tempo de finalização do setor. 

Descentralização

A Avalanche cita a descentralização como uma de suas principais características. Considerando o tamanho e a idade da rede Avalanche, ela realmente possui um grande número de validadores (mais de 1.300 em abril de 2022), parcialmente devido aos seus requisitos operacionais mínimos. No entanto, como o preço do AVAX subiu, ficou mais caro se tornar um validador.

Blockchains interoperáveis

As blockchains interoperáveis da Avalanche são potencialmente ilimitadas em número. Esse aspecto representa uma competição direta com o projeto Polkadot, um dos mais famosos, que oferece blockchains personalizadas e interoperáveis. O Polkadot tem um espaço limitado e usa um sistema de leilão de Parachain Slots, enquanto a Avalanche funciona com uma simples taxa de assinatura.


Considerações finais

Como as plataformas de Finanças Descentralizadas (DeFi) buscam por alternativas à Ethereum, blockchains como a Avalanche são atraentes graças à sua compatibilidade com a EVM e às baixas taxas da rede. No entanto, o setor de plataformas DeFi já conta com uma longa lista de plataformas alternativas quando se trata de escalabilidade e velocidade.

A popularidade da Avalanche aumentou desde o seu lançamento e já alcançou a Ethereum no total de transações diárias. Porém, ainda não se sabe se ela será capaz de competir com outras blockchains como a Solana ou a Polygon.