Como Minerar Criptomoedas?
Tabela de Conteúdos
Introdução
O que é mineração de criptomoedas?
Tipos de mineração de criptomoedas
Como minerar criptomoedas?
Vale a pena minerar criptomoedas?
Considerações finais
Como Minerar Criptomoedas?
Página Inicial
Artigos
Como Minerar Criptomoedas?

Como Minerar Criptomoedas?

Intermediário
Publicado em Oct 13, 2022Atualizado em Nov 24, 2022
11m


TL;DR

O Bitcoin e muitas outras redes blockchain usam o algoritmo de consenso Proof of Work (PoW) para mineração. É possível minerar criptomoedas de muitas maneiras; o processo pode ser feito individualmente ou em conjunto com outros mineradores. Você pode usar computadores especiais para mineração ou até mesmo dispositivos comuns, como seu computador pessoal. Embora qualquer um possa se tornar um minerador, nem todos conseguem obter lucros com a mineração. Antes de começar, é preciso estudar, escolher os dispositivos e programas corretos e providenciar alguns ajustes práticos.

Introdução

Antes de iniciar a mineração de criptomoedas, é importante fazer algumas pesquisas. Diferentes protocolos podem exigir hardwares e softwares específicos. Embora a mineração atraia muitas pessoas para o ecossistema de criptomoedas devido às suas possíveis recompensas, ela também permite que usuários tenham um papel importante na viabilização de blockchains descentralizadas.

A mineração de criptomoedas é um assunto altamente técnico e há mais de uma maneira de minerar. Este artigo fornece uma ideia geral e prática sobre o processo de mineração.

O que é mineração de criptomoedas?

Redes blockchain usam a mineração para criar e validar novos blocos de transações e para garantir a segurança da rede. No processo, os chamados mineradores usam quantidades significativas de recursos computacionais para criar novas unidades de criptomoedas, aumentando seu fornecimento em circulação.

O Bitcoin, o Litecoin (LTC) e muitas outras redes blockchain usam o algoritmo de consenso Proof of Work (PoW) para mineração de criptomoedas. O PoW determina como uma rede blockchain obtém consenso entre todos os participantes distribuídos, sem intermediários terceirizados. Além disso, ele soluciona o problema de gastos duplos (double-spend), evitando que participantes da rede utilizem os mesmos recursos mais de uma vez.

O modelo PoW promove um bom nível de participação na rede. Os mineradores competem na tentativa de resolver quebra-cabeças criptográficos complexos usando hardwares de mineração. Quando um minerador soluciona o problema, ele ganha o direito de minerar o próximo bloco. O primeiro minerador a encontrar uma solução válida e confirmar seu bloco de transações recebe recompensas. Portanto, o processo é caro e exige esforço, mas o trabalho compensa.

A mineração PoW também torna uma rede blockchain mais descentralizada. Uma blockchain pode funcionar como um ledger descentralizado porque é mantida por inúmeros computadores distribuídos (nodes) em todo o mundo. Portanto, em vez de ter um único banco de dados, esses computadores interconectados mantêm uma cópia dos dados da blockchain e se comunicam entre si para garantir, continuamente, que todos estão utilizando a blockchain em seu estado correto.

No entanto, também é possível interromper uma blockchain com o chamado ataque de 51%. Embora a sua ocorrência seja muito improvável, especialmente em blockchains maiores, uma única entidade ou organização poderia, teoricamente, assumir mais de 50% do poder computacional da rede. Essa quantidade de poder de mineração permitiria que hackers excluíssem ou alterassem intencionalmente a ordem das transações, permitindo-lhes também reverter suas próprias transações.

Outro potencial problema da mineração de criptomoedas está relacionado a sua sustentabilidade e custos. A mineração de criptomoedas requer um investimento significativo, não apenas em hardwares, mas também em energia. Consequentemente, muitos mineradores, especialmente os que mineram bitcoin (BTC), consomem muita eletricidade. Além disso, se um minerador não tiver acesso a várias plataformas de mineração e eletricidade barata, é improvável que sua mineração seja lucrativa.

Tipos de mineração de criptomoedas

Ao validar blocos com sucesso, os mineradores recebem recompensas de bloco. Quanto mais poder computacional os mineradores fornecem à rede, melhores são suas chances de validar o próximo bloco. No entanto, quanto maior o número de mineradores competindo, maior será a exigência de poder computacional para a validação de blocos. Portanto, a mineração pode ser um processo muito caro para mineradores individuais.

Não existe apenas uma maneira de minerar criptomoedas. Então, vamos examinar as principais maneiras, individualmente, para que você possa escolher o caminho certo, independentemente se planeja minerar por conta própria ou como participante de um grupo.

Mineração ASIC

Os circuitos integrados de aplicação específica (ASIC) são computadores projetados para um único propósito. Algumas plataformas de mineração ASIC são totalmente dedicadas à mineração de criptomoedas.

Vale notar que novos modelos ASIC podem, em pouco tempo, fazer com que modelos mais antigos se tornem inúteis e não lucrativos. Além disso, as chamadas criptomoedas ASIC-resistant não podem ser mineradas com equipamentos de mineração ASIC.

Mineração via GPU

Ao contrário dos ASICs, unidades de processamento gráfico (GPUs) podem atender a mais de uma finalidade. Tradicionalmente, a função de GPUs em um computador é processar gráficos e exibi-los na tela. A mineração via GPU oferece uma entrada mais acessível à mineração de criptomoedas. Os usuários podem minerar com hardwares mais baratos como notebooks padrão. Ainda que seja possível minerar algumas altcoins com GPUs, a eficiência da mineração vai depender do algoritmo e da dificuldade de mineração.

Mineração via CPU

A unidade central de processamento (CPU) é o principal componente que opera os computadores. A mineração via CPU permite que você use a energia ociosa do seu computador para minerar criptomoedas. No início, até o bitcoin foi minerado usando uma CPU, mas hoje em dia as CPUs não são mais tão eficientes para mineração de criptomoedas devido às suas restrições energéticas.

Pools de mineração

As pools de mineração referem-se a um grupo de mineradores que se unem para combinar seu poder computacional (também chamado de poder de hashing ou taxa de hash). Juntos, à medida que aumentam a probabilidade de encontrar novos blocos, eles podem ganhar mais e dividir as recompensas. Muitos mineradores participam de pools de mineração para obter resultados mais estáveis e previsíveis.

Mineração individual

A mineração individual (ou mineração solo) é o oposto das pools de mineração, pois não requer outros participantes. Um minerador executa todo o processo de mineração sozinho. No entanto, principalmente quando se trata das principais criptomoedas, os mineradores têm mais dificuldade de obter lucros devido à crescente concorrência e o enorme poder computacional das pools de mineração.

Cloud mining (mineração em nuvem)

Com o cloud mining, você utiliza poder computacional de uma farm de mineração em nuvem (cloud-mining farm). Normalmente, você paga para que outra pessoa ou empresa faça a mineração por você. Portanto, esse recurso pode facilitar o início do processo de mineração, já que não requer hardware especializado para mineração de criptomoedas. Além disso, os mineradores alugam poder computacional de uma empresa que pode estar localizada em qualquer lugar do mundo. Ou seja, eles não precisam se preocupar com contas de eletricidade ou problemas de armazenamento. No entanto, esta opção pode ser arriscada, pois não há garantia de que você receberá um retorno sobre seu investimento. Muitos desses serviços acabaram sendo fraudes.

Como minerar criptomoedas?

A mineração tem potencial para se tornar uma fonte de renda passiva. Para começar a minerar por conta própria, você pode seguir este guia passo a passo. No entanto, tenha em mente que existem várias abordagens e técnicas de mineração. Sendo assim, as etapas desse guia talvez não sejam eficazes para alguns métodos de mineração e outros métodos podem ter exigências adicionais.

Note que a mineração nem sempre é um empreendimento fácil ou lucrativo, pois depende da flutuação de preços das criptomoedas e dos custos de energia. Para minerar, você precisa configurar os dispositivos de mineração corretamente e arcar com algumas despesas adicionais (além do investimento inicial) para manter o sistema funcionando. 

1. Escolha sua criptomoeda

Cada criptomoeda tem um nível de dificuldade diferente para o processo de mineração. A dificuldade refere-se ao esforço exigido pela rede para minerar um bloco com sucesso. Quanto mais mineradores na rede, maior será a competição e, consequentemente, maior será a dificuldade de hashing. Por outro lado, quando muitos mineradores decidem deixar a rede, a dificuldade de hashing diminui, facilitando o processo de mineração de um novo bloco.

As maiores criptomoedas têm condições incrivelmente difíceis de satisfazer. Por isso, mineradores individuais têm mais dificuldade de obter lucros com a mineração dessas moedas. Os mineradores de bitcoin usam ASICs poderosos e pools de mineração para aumentar suas chances de receber recompensas.

Muitos mineram criptomoedas Proof of Work (PoW) diferentes do bitcoin, como Dogecoin e Ethereum Classic. Algumas redes de altcoins não são tão congestionadas e oferecem mais chances para mineradores menores. Altcoins também podem oferecer maior potencial de crescimento devido ao seu potencial inexplorado. Além disso, alguns mineradores usam opções de mineração que consomem menos energia, pois não exigem tanto poder computacional.

No entanto, vale notar que a mineração de altcoins pode ser mais volátil. Na pior das hipóteses, o protocolo pode ser hackeado ou abandonado e os tokens podem se tornar inúteis. Além disso, devido à crescente popularidade de criptomoedas específicas, pode ser que você precise renovar suas plataformas de mineração e gastar mais dinheiro do que planejou inicialmente. Por exemplo, no começo, os mineradores conseguiam minerar bitcoin usando seus computadores e notebooks pessoais. Isso não é mais possível.

2. Escolha seu equipamento de mineração

A mineração de criptomoedas é uma competição. Nessa competição, os mineradores com equipamentos mais poderosos saem na frente, pois aumentam suas chances de minerar o próximo bloco. Como mencionado, os mineradores ASIC são projetados para atender a um único propósito específico, o que os torna, em muitos casos, a melhor opção para mineração de criptomoedas. As GPUs ainda são viáveis em algumas redes, mas sua eficiência depende da dificuldade e do algoritmo de mineração da criptomoeda.

Existem também algumas criptomoedas que requerem plataformas de mineração projetadas especialmente para elas. Por exemplo, a mineradora Helium usa tecnologia de rádio – o dispositivo é instalado em um local sem restrições para fornecer uma cobertura de rede wireless. Portanto, sempre verifique qual é o tipo de hardware necessário para a criptomoeda que você pretende minerar.

3. Configure uma carteira de criptomoedas

Você também vai precisar de uma carteira de criptomoedas para armazenar as chaves da criptomoeda que você receberá como recompensa pela mineração. O software de mineração moverá as recompensas para o endereço da carteira cripto que você especificar. Por exemplo, você pode usar a Trust Wallet para armazenar suas criptomoedas com segurança e conectar-se a milhares de projetos em diferentes blockchains. 

4. Configure seu dispositivo de mineração

A mineração de criptomoedas exige que você baixe um software de mineração especializado. A melhor maneira de obter o software é acessando o site da criptomoeda que você pretende minerar. Dessa forma, você tem certeza de que terá o software correto para a respectiva criptomoeda e evita usar programas falsos.

Geralmente, os softwares de mineração são gratuitos para baixar e usar. Além disso, algumas criptomoedas têm vários softwares disponíveis para diferentes sistemas operacionais. Antes de escolher o software de mineração, é sempre bom fazer suas próprias pesquisas (DYOR) para entender as diferenças entre eles.

Outra utilidade da configuração do dispositivo de mineração é criar uma estratégia para monitorar os custos de eletricidade. Você pode consultar suas contas de energia anteriores para avaliar o custo da mineração. Infelizmente, o consumo de energia de uma plataforma de mineração pode resultar mais gastos do que ganhos.

Além disso, as plataformas de mineração fazem barulho e podem ter superaquecimento. Portanto, é importante colocá-las em um local seguro, com resfriamento adequado e avisar seus vizinhos sobre a possibilidade de ruídos.

5. Considere participar de uma pool de mineração

As pools de mineração podem lhe ajudar a reduzir os custos com hardwares e eletricidade. Como a recompensa de bloco é concedida ao primeiro minerador bem-sucedido, a probabilidade de encontrar o hash correto é muito pequena. Por exemplo, mesmo que você utilize vários ASICs de alta potência, seu poder computacional será uma parte microscópica do poder de hashing total da rede Bitcoin.

As pools de mineração aumentam o poder total de mineração, aumentando, portanto, as chances de encontrar o próximo bloco válido. Em outras palavras, ao combinar seu poder de hash com uma pool de mineração, é possível que você consiga melhores resultados do que com a mineração individual.

Normalmente, as pools de mineração têm um coordenador que organiza os mineradores para reduzir as chances de erros. Por exemplo, os coordenadores devem garantir que os mineradores usem diferentes valores de nonce para evitar o desperdício de poder de hash. Muitas vezes, os coordenadores também são responsáveis por dividir as recompensas de mineração entre os membros da pool.

Vale a pena minerar criptomoedas?

Investidores que buscam rendas passivas costumam considerar a mineração como uma possibilidade. Depois de configurar as funções e conectar os equipamentos de mineração à rede, o processo passa a exigir pouco esforço.

É claro, não será um processo totalmente passivo, pois exige tarefas como a manutenção de hardwares, atualização de softwares, pagamento de contas de luz, etc.

No entanto, embora a mineração possa ser passiva, ela não é necessariamente lucrativa. Por exemplo, a volatilidade das criptomoedas subjacentes pode resultar em recompensas menores, que não cobrem os custos de eletricidade do minerador.

A lucratividade de uma operação de mineração depende de seu tamanho e localização. Por exemplo, as maiores farms de mineração estão estrategicamente localizadas em países com os menores custos de eletricidade. Alguns lugares também têm preços de eletricidade mais voláteis que podem interferir na mineração.

Antes de começar a gerar lucros, a mineração requer um investimento inicial em hardwares específicos. Portanto, o primeiro período de mineração pode ser usado para pagar os custos. Além disso, como vimos anteriormente, o hardware pode ficar obsoleto e ineficiente, o que pode resultar em despesas adicionais. Portanto, a mineração de criptomoedas pode exigir mais investimentos em hardware, além do investimento inicial.

Algumas pessoas decidem minerar criptomoedas apenas para apoiar a descentralização e a segurança das blockchains. Às vezes, até mesmo sem a intenção de lucrar.

Considerações finais

A mineração é essencial para blockchains porque ajuda a proteger a rede enquanto cria e valida novos blocos de transações. Embora qualquer pessoa possa minerar criptomoedas, é essencial avaliar os custos e riscos. 

Além disso, a mineração requer um certo grau de conhecimento técnico, principalmente na hora de adquirir e configurar seu equipamento de mineração. É importante fazer suas próprias pesquisas e entender as especificidades da criptomoeda que você deseja minerar. Você também precisará configurar uma carteira de criptomoedas para receber as recompensas de mineração.

Mas, lembre-se, o ecossistema cripto muda rapidamente, então fique de olho nos desenvolvimentos e atualizações dos projetos, pois eles podem mudar o processo de mineração das criptomoedas.