O que é Threshold Network (T)?
Tabela de Conteúdos
Introdução
Como a Threshold funciona?
O Ecossistema Threshold
Threshold DAO e o Token T
Considerações finais
O que é Threshold Network (T)?
Página InicialArtigos
O que é Threshold Network (T)?

O que é Threshold Network (T)?

Intermediário
Publicado em May 6, 2022Atualizado em May 18, 2022
5m

TL;DR

A Threshold fortalece a autoridade dos usuários, fornecendo um conjunto de serviços de criptografia de threshold para aplicações da Web3 através de uma rede descentralizada de nodes.


Introdução

Hoje em dia, muitas vezes é preciso fazer a escolha, em termos de prioridade, entre privacidade e usabilidade. Compartilhamos nossa localização em tempo real para solicitar serviços de carona, abrimos mão da nossa privacidade, fornecendo dados pessoais e informações de gastos para ter acesso a crédito, além de nossas fotos e dados de navegação compartilhados online. As consequências desses trade-offs são reais e mensuráveis. Houve o vazamento de milhões de credenciais de login. Contas bancárias e números de telefone foram comprometidos. Nossas perspectivas foram sutilmente influenciadas por perfis de dados agregados e os algoritmos agora sabem mais sobre nós do que nós mesmos. Mas e se tivéssemos a opção de não fazer esse trade-off?

A Threshold visa resolver esse problema, usando criptografia de threshold para oferecer maior utilidade aos ativos digitais sem precisar confiar em uma autoridade centralizada.


Como a Threshold funciona?

A criptografia de Threshold distribui operações e informações confidenciais para múltiplas entidades independentes – como nodes (nós) em uma rede. Para que uma operação seja bem sucedida, ela precisa de um threshold (limite) ou de um número mínimo dessas entidades cooperando entre si. Essa simples ideia aprimora a segurança e a disponibilidade de um sistema de informação. Ela também reduz a dependência de partes confiáveis, pois nenhum participante é capaz de corromper o sistema. Contanto que um número mínimo de participantes siga as regras, mesmo que haja alguns indivíduos mal-intencionados, o sistema continuará funcionando de forma segura e correta. No caso de um sistema com custódia centralizada, por exemplo, uma única pessoa mal intencionada pode roubar os fundos dos usuários. Sistemas de criptografia de threshold oferecem proteção contra esse ponto único de falha.


O Ecossistema Threshold

O ecossistema Threshold foi criado a partir da fusão da NuCypher e da Keep Networks em uma única rede descentralizada. A Threshold oferece um conjunto de serviços de criptografia de threshold para aplicações da Web3 através de uma rede descentralizada de nodes. Os serviços na Threshold Network incluem a reencriptação de proxy para gerenciamento de informações confidenciais controladas pelo usuário e controle de acesso dinâmico, além do tBTC v2, um serviço de bridging de ativos (de Bitcoin para Ethereum) descentralizado e permissionless.

 

Proxy Re-encryption (PRE)

Embora a revolução da blockchain explore o potencial dos aplicativos descentralizados, as plataformas Web3 desenvolvidas em blockchains públicas podem apresentar riscos significativos à privacidade do usuário. A Threshold Network, com a criptografia de threshold, oferece uma solução única para os desafios relacionados à privacidade do usuário em plataformas Web3.

O serviço de reencriptação de proxy (Proxy Re-Encryption, PRE), é um middleware de criptografia destinado a aplicações que preservam a privacidade do usuário. O Proxy Re-encryption é um protocolo de encriptação de ponta a ponta escalonável, que permite que um proxy transforme dados criptografados (reencriptação) de uma chave de encriptação para outra, sem revelar os dados. Observação: em relação aos dados mencionados, ambos os termos "criptografado" e "encriptação" se referem ao processo de codificação de dados e informações. Os nodes na Threshold Network atuam como essas entidades de proxy e usam a criptografia de threshold para reencriptação de dados de forma segura e cooperativa para os destinatários, com base em condições de acesso definidas pelo proprietário dos dados.

O PRE é diretamente aplicável a casos de uso que visam manter a propriedade dos dados enquanto facilitam os recursos de compartilhamento de dados, como assinaturas pagas de conteúdo criptografado ou a transferência de propriedade de dados para NFTs criptografados. Os dados, onde quer que sejam armazenados, permanecem privados e criptografados, desde que os proprietários dos dados preservem a sua capacidade de compartilhar esses dados e de aplicar controles de acesso usando criptografia. 

Para visualizar como isso funciona, imagine que a Alice gostaria de compartilhar dados com outro usuário ou aplicativo de forma segura. Para isso, Alice geralmente fornecia a um serviço centralizado, dados não criptografados ou chaves de encriptação privadas. Com o serviço PRE da Threshold, as aplicações da Web3 permitem que Alice armazene seus dados criptografados em qualquer lugar e crie políticas de acesso personalizadas na blockchain, que definem quem pode acessar determinados dados, de maneira segura e descentralizada.

O acesso a esses dados é controlado pelos nodes descentralizados na Threshold Network, que impõem as políticas de acesso de Alice (e de outros usuários) e estão prontos para fazer a reencriptação dos dados para os destinatários correspondentes. Esses nodes descentralizados não conseguem acessar os dados subjacentes, pois o processo de reencriptação não é capaz de descriptografar os dados. Quando o destinatário deseja acessar os dados compartilhados, eles primeiro os obtêm a partir do armazenamento. Em seguida, eles solicitam que os nodes efetuem a reencriptação. Cada node é capaz de efetuar a reencriptação de apenas um fragmento dos dados. O destinatário deve coletar um número limite (threshold) de fragmentos de reencriptação para descriptografar os dados.

Graças ao design exclusivo do Proxy Re-Encryption da Threshold, as aplicações Web3 garantem que os dados do usuário estejam sob seu controle total, enquanto operam em uma blockchain pública.


tBTC v2

As soluções existentes de bridging de Bitcoin para Ethereum exigem que os usuários enviem seu Bitcoin a um intermediário, que então emite um token da Ethereum de valor equivalente. Esse modelo centralizado exige que você confie em terceiros e é propenso à censura, sacrificando a ideia do Bitcoin de descentralização segura e sistema permissionless.

A segunda geração do tBTC é um serviço de bridging verdadeiramente descentralizado entre Bitcoin e Ethereum e fornece aos holders (detentores) de Bitcoin acesso permissionless ao setor DeFi e ao universo Web3 em expansão. O tBTC v2 substitui intermediários centralizados por um grupo selecionado aleatoriamente de operadores, que executam nodes na Threshold Network. 

Este grupo de operadores independentes trabalha em conjunto para proteger seu Bitcoin depositado por meio de criptografia de threshold. Isso significa que o tBTC v2 requer um limite (threshold) no sentido de que a maioria desses operadores deve concordar em acessar ou realizar qualquer ação com seu Bitcoin. Ao alternar a seleção de operadores semanalmente, o tBTC v2 garante proteção contra qualquer indivíduo ou grupo de operadores que tente assumir o controle. Ao contrário de outras soluções no mercado, os fundos dos usuários são controlados por matemática, e não por hardwares ou pessoas. Além disso, o tBTC v2 é permissionless, o que o torna acessível a todos.


Threshold DAO e o Token T

A Threshold é gerenciada pela comunidade e governada por uma DAO (organização autônoma descentralizada). A DAO é um three-pronged system (sistema de três pontas) baseado no Governor Bravo da Compound. Ela é composta pelas organizações Token Holder DAO, Staker DAO e Elected Council (conselho eleito). Cada uma tem responsabilidades sobre as outras duas, além de responsabilidades separadas dentro da estrutura de governança. O token T impulsiona a Threshold. Os holders de tokens ajudam a apoiar o ecossistema fazendo staking e executando um node descentralizado na rede. Tanto os stakers ativos quanto os holders passivos de tokens podem participar das decisões de governança da DAO, relacionadas ao futuro da rede.
Além disso, existem guildas lideradas pela comunidade, como a Guilda de Marketing, a Guilda de Integração e a Guilda da Tesouraria. Cada guilda é gerenciada por um comitê eleito e faz eleições regulares e rotativas. Qualquer um pode se juntar a uma guilda e trabalhar em conjunto com outros membros da Threshold DAO, conforme seus interesses e conhecimentos.


Considerações finais

A Threshold fornece serviços criptográficos de threshold que potencializam a soberania e a autoridade do usuário na blockchain. Os serviços incluem o PRE, um protocolo de encriptação que permite que o usuário compartilhe e gerencie criptograficamente o acesso aos seus dados e o tBTC v2, um serviço de bridging entre Bitcoin e Ethereum que fornece aos holders de Bitcoin um sistema permissionless e uma forma de usar seus BTC no setor DeFi. Acesse o site da Threshold para mais informações.