Como Usar um Blockchain Explorer de Bitcoin
Índice
Introdução
O que é um blockchain explorer?
Como funciona um explorador de blocos?
Como visualizar a transação 10.000 bitcoin pizza
Considerações finais
Como Usar um Blockchain Explorer de Bitcoin
InícioArtigos
Como Usar um Blockchain Explorer de Bitcoin

Como Usar um Blockchain Explorer de Bitcoin

Iniciante
Published Nov 4, 2020Updated Nov 23, 2021
6m

TL;DR

Transparência pública é um conceito fundamental em criptomoedas. Uma das grandes promessas da blockchain é nivelar a atuação dos participantes na rede e não restringir as informações a um grupo de pessoas que estão em uma posição privilegiada de controle.

Mas o que isso significa, exatamente? Você pode descobrir quantos bitcoins seu vizinho possui? Como consultar dados públicos por conta própria? É exatamente sobre isso que vamos falar neste artigo. Note que mencionamos principalmente o Bitcoin, mas também existem explorers (ou exploradores) de blockchain dedicados para Litecoin, Ethereum, Binance e praticamente qualquer blockchain nativa.


Introdução

Você já perdeu um pagamento ou deixou de receber de alguém que jurou ter pago? Em nosso sistema financeiro atual, essa pode ser uma situação difícil de resolver e talvez exija a intervenção de terceiros.

As blockchains resolvem esse problema introduzindo o conceito de transparência pública, onde as informações estão disponíveis para qualquer pessoa a qualquer momento. Para blockchains como a do Bitcoin e Ethereum, todas as informações são publicamente visíveis, o que é útil quando as transações (ou Txs) e os contratos precisam ser facilmente identificados e verificados.
Neste guia, daremos uma olhada no layout básico de um explorador de blocos do Bitcoin. Então, vamos consultar uma transação famosa, que deu origem ao Bitcoin Pizza Day, no dia 22 de maio. 


O que é um blockchain explorer?

Um blockchain explorer (ou explorador de blockchain) é um mecanismo de busca que oferece informações antigas e atuais de uma blockchain. Isso é útil para acompanhar o andamento de um pagamento específico ou verificar o saldo e o histórico de um endereço. Qualquer pessoa com uma conexão à Internet pode usar um explorer e visualizar todas as transações de uma blockchain pública.


Como funciona um explorador de blocos?

Cada blockchain possui uma interface de linha de comandos (CLI - Command Line Interface) para interagir com o banco de dados e visualizar o histórico da rede. No entanto, um explorer de CLI não oferece uma experiência amigável para o público em geral. É por isso que a maioria das blockchains também tem um explorer com uma interface gráfica do usuário (GUI - Graphical User Interface) que exibe as informações de forma mais simplificada.

Vamos analisar um dos explorers de Bitcoin mais usados: blockchain.com. Outras alternativas para o BTC incluemblockchair.com e blockcypher.com.

Fonte: https://www.blockchain.com/explorer.


Na página inicial, você pode ver alguns dados sobre a blockchain do Bitcoin. Os dados incluem o preço, a taxa de hash estimada, o número diário de transações e o volume de transações. Também vemos gráficos de mapeamento de preços e tamanho do mempool. Na parte inferior, podemos monitorar os últimos blocos e transações.

Vamos ver mais detalhes sobre as informações:

  • Preços: Feed de preços agregado, em dólares americanos, abrangendo vários mercados. Na maioria dos casos, o preço depende do fornecedor de informações do feed e não indica o preço spot em uma corretora específica.
  • Taxa de Hash Estimada: Estimativa do poder de computação atualmente empregado pelos mineradores para a segurança e funcionamento da blockchain. Esse parâmetro pode ser visto como um proxy para a segurança de uma blockchain Proof of Work (PoW).
  • Transações: Número de transações confirmadas nas últimas 24 horas. Para ser confirmada, uma transação precisa ser incluída em um bloco válido (que foi minerado com sucesso).
  • Volume das Transações: Medida do valor total de outputs (transações de saída) em BTC, confirmados na blockchain nas últimas 24 horas. Devido ao funcionamento do Bitcoin, esse total também inclui os outputs não gastos, ou seja, transações devolvidas à carteira de “gastos” como troco.
  • Volume de Transações (estimado): Estimativa (em BTC) do volume real de transações transferidas entre carteiras. É o Volume de Transação (mencionado acima) menos a estimativa dos outputs devolvidos como troco para as carteiras.
  • Tamanho do Mempool: O parâmetro de tamanho do mempool rastreia o tamanho agregado (em bytes) de transações que estão aguardando a confirmação e inclusão em um bloco. É um proxy para a quantidade de atividade na blockchain e pode ser usado como um indicador referente às taxas necessárias para uma confirmação rápida.
  • Últimos Blocos: Lista de blocos confirmados, do mais novo ao mais antigo. Inclui detalhes como altura do bloco, data/hora de registro, nome do minerador (se for conhecido) e tamanho do bloco. Você pode clicar em “altura do bloco” e consultar informações sobre as transações incluídas no bloco. Clique em "miner" (minerador) para revelar informações sobre o endereço do minerador do bloco. O endereço público do minerador pode ser um endereço conhecido de uma pool de mineração. Caso não saiba o que é uma pool de mineração, consulte este artigo.
  • Últimas Transações: Lista de transações válidas que foram enviadas ao mempool. Novamente, as transações não são confirmadas até que sejam incluídas em um bloco válido.


Existem métricas adicionais sobre a blockchain nesta página, incluindo dificuldade da rede, taxas por transação e tempo médio de confirmação. Alguns exploradores de blockchain também permitem que você se conecte à API deles.



Como visualizar a transação 10.000 bitcoin pizza

O Pizza Day é um dia que marcou a história do Bitcoin e comemora a compra de duas pizzas grandes por 10.000 bitcoins. Usando o explorer de blocos, podemos ver detalhes sobre essa famosa transação.

Hash da Transação do Pizza Day: 

a1075db55d416d3ca199f55b6084e2115b9345e16c5cf302fc80e9d5fbf5d48d
Ao copiar o hash da transação no campo de pesquisa do explorer do Bitcoin, podemos ver a transação do Pizza Day. Se não quiser copiar e colar, aqui está o link para a página da transação.
No topo da página, podemos ver um resumo dos inputs e outputs (entradas e saídas) da transação. À esquerda estão os bitcoins pagos pela pizza (totalizando 10.000 BTC). Eles foram enviados para o endereço único à direita (pertencente ao entregador de pizza).

Resumo da transação do Pizza Day. Fonte: blockchain.com


Se clicarmos no endereço de recebimento (à direita), veremos o histórico de transações. Você também pode escanear o código QR para obter a respectiva string de endereço. Os códigos QR são muito úteis ao fazer pagamentos com a TrustWallet ou outras carteiras cripto para dispositivos móveis.

Endereço de recebimento do Pizza Day. Fonte: blockchain.com.


Se retornarmos à página da transação do Pizza Day, podemos consultar os detalhes da transação na parte inferior da página. Isso inclui o hash exclusivo da transação, o status de confirmação, o registro de data/hora, o número de confirmações, o total de inputs e outputs, as taxas do minerador e muito mais. Podemos ver também uma taxa de transação de 0,99 BTC paga ao minerador, além dos 10.000 BTC pelas pizzas.

Detalhes da transação do Pizza Day. Fonte: blockchain.com.


Clicando na altura do bloco (57.043), vemos os detalhes sobre o bloco no qual esta transação foi incluída.

Bloco do Pizza Day. Fonte: blockchain.com.


Como podemos ver, o bloco que confirmou a transação do Pizza Day foi um bloco sem incidentes. Vemos um total de duas transações. Uma é a transação do Pizza Day e a outra é a recompensa de bloco do minerador.

Os ícones em verde e vermelho ao lado direito da transação, indicam se os bitcoins foram gastos ou não após essa transação. A pessoa que vendeu as pizzas já enviou os 10.000 BTC para outro endereço, mas o endereço do minerador ainda armazena a recompensa de bloco (50,99 BTC).


Considerações finais

Os explorers de blockchain são ferramentas úteis que aproveitam a natureza aberta e transparente das blockchains públicas. Eles fornecem informações sobre o estado da rede, incluindo transações e o histórico de endereços. Com isso, é fácil rastrear e verificar diferentes endereços e informações.

Contudo, essa ênfase na transparência pública pode levar ao mapeamento do histórico de transações e endereços. Esse processo é conhecido como "chain analysis" (análise de blockchain). Isso pode desmascarar pseudônimos dos endereços, especialmente para usuários que usam os mesmos endereços várias vezes (não recomendado). Outras blockchains públicas (como a Monero) oferecem padrões diferentes em termos de transparência e privacidade.

Agora que você compreende melhor como os explorers de blockchain funcionam, experimente usá-los. Você pode se surpreender com os segredos que pode descobrir!