O que é Tether (USDT)?
Índice
Introdução
O que é Tether (USDT)?
Como funciona o Tether (USDT)?
Por que o Tether (USDT) é importante?
Casos de uso do Tether (USDT)
Como armazenar Tether (USDT)
Outras criptomoedas Tether
Considerações finais
O que é Tether (USDT)?
InícioArtigos
O que é Tether (USDT)?

O que é Tether (USDT)?

Iniciante
Published Dec 21, 2020Updated Aug 18, 2021
5m

TL;DR

O Tether (USDT) é uma das stablecoins mais populares que existe. Foi projetado para manter uma proporção de valor de 1:1 com o dólar americano. A moeda existe em muitas blockchains diferentes e, nos últimos anos, apresentou aumentos no volumes de trading e de liquidez.

Como outras stablecoins, o USDT é útil para o trading de criptomoedas, pois permite que os traders evitem a volatilidade presente nos mercados de BTC e outros criptoativos. O uso de stablecoins também remove os custos extras e atrasos na conversão (câmbio) entre criptomoedas e moedas fiduciárias.


Introdução

O Tether é parte fundamental do ecossistema de criptomoedas. Em dezembro de 2020, o Tether estava classificado como a quarta maior criptomoeda do mundo, com uma capitalização de mercado de quase US$ 20 bilhões, atrás apenas do Bitcoin, Ethereum e  XRP . Muitas vezes o Tether atinge a classificação de moeda com o maior volume diário de trading, ultrapassando até mesmo o Bitcoin.

Mas o que é Tether e como ele pode ser útil para você?


O que é Tether (USDT)?

O Tether (USDT) foi a primeira stablecoin (criptomoeda com valor atrelado a uma moeda fiduciária). Foi originalmente lançado em 2014 com o nome de Realcoin pelo investidor Bitcoin Brock Pierce, o empresário Reeve Collins e o desenvolvedor de softwares Craig Sellers.
O USDT foi originalmente emitido no protocolo bitcoin através do Omni Layer, mas também migrou para outras blockchains. Na verdade, como podemos ver no gráfico abaixo, a maior parte de seu fornecimento atual está na Ethereum como um token ERC-20. Também é emitido em várias outras blockchains, incluindo TRON, EOS, Algorand, Solana e a OMG Network.



O Tether passou por momentos de sucesso e também por controvérsias – como aconteceu com muitas das criptomoedas mais importantes do mundo.

Principalmente em seus primeiros dias, o preço do USDT apresentou uma volatilidade considerável, chegando a US$ 1,2 em determinado momento. No entanto, a moeda experimentou muito menos volatilidade desde o início de 2019. Isso provavelmente se deve a um aumento constante em seu volume de trades e ao avanço geral dos mercados de criptomoedas.



Como funciona o Tether (USDT)?

A utilidade das Stablecoins está em sua relativa estabilidade, diferentemente dos criptoativos mais tradicionais. Como stablecoin, o atrativo do Tether é seu vínculo/atrelamento ("tethering" ou "pegging") à moeda fiduciária. O USDT foi originalmente atrelado com proporção exata em relação ao dólar americano (USD), mantendo US$ 1 para cada USDT em circulação.

Conforme o whitepaper original do Tether:

Cada unidade de Tether emitida em circulação é vinculada/garantida - em uma proporção de 1 para 1 (ou seja, 1 Tether USDT equivale a 1 dólar americano) - pela unidade de moeda fiduciária correspondente, mantida em depósito pela Tether Limited, com sede em Hong Kong.

Embora o ativo 1:1 original do Tether fosse o USD, houve uma adaptação para incluir o holding/armazenamento de colaterais (garantias) com outros equivalentes de dinheiro, ativos e contas a receber do mundo real.

Como podemos ver no gráfico USDT/USD abaixo, a moeda (geralmente) é negociada a uma taxa estável de 1 para 1 com o USD. No entanto, eventos de mercado mais significativos podem afetar essa proporção do preço.


Por que o Tether (USDT) é importante?

O Tether preenche a lacuna entre as criptomoedas e as moedas fiduciárias. Ele oferece uma forma de câmbio muito simples para os investidores, em proporção de 1:1 com o dólar americano (USD), sem a inerente volatilidade da maioria das outras criptomoedas.

Graças a essa estabilidade, os investidores podem manter/armazenar ativos digital como moeda fiduciária comum, mas com a praticidade de poder negociá-las com outras criptomoedas nos mercados cripto. As características do Tether o tornam uma moeda muito popular, embora não seja completamente imune a riscos.

Principais características

  • Proporção 1:1 (entre USD e USDT)
  • Estabilidade (tanto quanto o dólar USD pode ser considerado estável)
  • Disponível em diferentes blockchains
  • Diferentes casos de uso quando comparados a criptomoedas tradicionais


Casos de uso do Tether (USDT)

Rápido acesso a um mercado estável

Se o preço do Bitcoin ou outro criptoativo estiver caindo rapidamente, você pode trocá-lo por USDT em instantes, ou seja, não é necessário efetuar um saque.


Fácil movimentação de fundos entre exchanges

Com o Tether, você pode mover seus fundos entre exchanges/corretoras muito rapidamente. Isso também pode ser muito útil para trading de arbitragem com outras moedas.


Trades em exchanges que só operam com cripto

Algumas exchanges não têm recursos para depósitos e saques fiduciários, mas permitem a negociação de USDT. Com o Tether, você pode fazer trades nessas corretoras sem precisar se preocupar com a volatilidade do mercado ao investir seu capital em BTC (ou outras criptomoedas).


Trading no estilo Forex

Como o USDT está vinculado ao dólar (USD), você pode fazer trades no estilo Forex, fazendo o câmbio de moedas locais (fora dos EUA) por USDT quando o valor estiver alto em relação ao USD. Quando o valor da moeda local cair, você pode vender seu saldo em USDT ou trocá-lo por outros ativos.


Como armazenar Tether (USDT)

Além da Binance e outras exchanges de criptomoedas, você pode armazenar seu USDT em várias carteiras de criptomoedas. Isso inclui carteiras para Web e celular (como a Trust Wallet) ou carteiras de hardware de armazenamento a frio (como a Ledger) através de carteiras de software de terceiros.

Como o USDT é emitido em várias blockchains diferentes, você deve garantir que esteja transferindo de/para a mesma rede.

Por exemplo, se você acessar a página de saque de USDT da Binance, encontrará cinco opções de rede diferentes para transferência: Binance Chain (BEP2), Binance Smart Chain (BEP20), Ethereum (ERC20), Tether (OMNI) e Tron (TRC20).

Opções de rede para transferência de USDT na Binance.


Portanto, tenha cuidado. Se você usar a rede errada, poderá perder seus fundos. Por exemplo, se você tentar enviar USDT Omni para um endereço USDT ERC-20, sua transferência provavelmente será perdida.

Vale notar que, até a data de confecção deste artigo, em dezembro de 2020, o USDT ERC-20 é o único tipo compatível com a carteira Ledger. Ou seja, o USDT em execução na blockchain do Bitcoin (Omni Layer) não está disponível para transferências em carteiras de hardware Ledger.


Outras criptomoedas Tether

Além do USDT, a Tether também tem outras stablecoins:

  • EURT: moeda Tether atrelada ao Euro
  • CNHT: moeda Tether atrelada ao Yuan chinês
  • XAUT: moeda Tether atrelada ao ouro físico


Você pode ver a quantia de cada moeda em circulação em várias blockchains na página Tether's Transparency.


Considerações finais

As stablecoins proporcionam muita praticidade no mundo do trading cripto, pois reduzem a necessidade de fazer várias conversões entre moedas fiduciárias e criptomoedas. Ter ativos USDT em mãos é com certeza muito útil para trading de criptomoedas.

Embora tenham surgido algumas dúvidas sobre a validade das reservas, os volumes nos últimos anos indicam que os usuários têm fé no valor do Tether como stablecoins. Além do USDT, você também pode usar outras stablecoins, como BUSD, USDC, TUSD e PAX.

Ainda tem dúvidas sobre o Tether ou ativos digitais? Confira nossa plataforma de perguntas e respostas, Ask Academy, onde a comunidade Binance responde as suas perguntas.